O divisor de águas de Carné

Sempre houve Jean Renoir, mas o mais prestigiado diretor francês dos anos 30 e 40 talvez tenha sido Marcel Carné. Fez, em 1945, o filme que foi considerado, numa recente votação, a obra-prima do cinema francês de todos os tempos - O Boulevard do Crime. Pois o filme que Carné realizou imediatamente a seguir passa hoje no Eurochannel, da TVA, às 22 horas. As Portas da Noite é do começo da carreira de Yves Montand. Ele faz o operário que chega a Paris, envolve-se com mulher casada e os dois passam a ser perseguidos pelo marido dela. Carné teve, na sua grande fase, a assessoria do roteirista Jacques Prévert. Quando se separaram começou sua decadência. As Portas da Noite foi um filme caro. Fracassou na bilheteria. Virou uma obra maldita. Um divisor de águas de um autor que era considerado importante e depois passou a ser cada vez mais contestado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.