O diretor que venceu o tempo

Cine-novista de primeira hora, Walter Lima Jr. não se enquadra no perfil do diretor de Cinema-Novo. E, embora tenha flertado com o underground, também não pode ser identificado com o movimento. É o que torna seu cinema mais atraente - essa recusa dos rótulos e das etiquetas.Walter Lima Jr. recebe esta semana a homenagem do Canal Brasil. Começou na segunda com um Retratos Brasileiros especial e prossegue até terça que vem mostrando momentos significativos do cineasta brindado, há pouco, com uma retrospectiva da sua obra no Centro Cultural Banco do Brasil, no Rio.Hoje passa, às 21 horas, A Lira do Delírio. O que desconcertava nos anos 70 é o que torna hoje o filme rico e fascinante - a narrativa fragmentada, a descontinuidade, o onirismo. E a história da taxi girl que tenta resgatar seu bebê ainda tem Anecy Rocha, irmã de Glauber, mulher de Walter Lima Jr. na época. É maravilhosa.

Agencia Estado,

06 de dezembro de 2000 | 12h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.