Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

O destino de 'O Jumento Sedutor', obra inédita de Ariano Suassuna

Ele entregou os manuscritos duas vezes para a editora, mas nas duas vezes mudou de ideia e pediu para jogar fora

Maria Fernanda Rodrigues , O Estado de S. Paulo

23 de julho de 2014 | 19h49

Desde os anos 1980, Ariano Suassuna trabalhava em O Jumento Sedutor, livro em que ele tentava fundir seu romance, seu teatro e sua poesia. A obra seria lançada este ano pela José Olympio, numa edição caprichada com ilustrações, iluminuras e molduras, e que viria numa caixa.

A editora Maria Amelia Mello recebeu os manuscritos duas vezes, e nas duas vezes o escritor pediu para ela jogá-los fora. “Há anos ele escrevia esse livro, que está pronto porque eu vi. Mas ele estava sempre mexendo nele”, conta a editora, que pensa, ainda, em fazer um livro com os poemas do autor. 

A edição de O Jumento Sedutor depende, agora, da família de Suassuna e do estado em que o autor deixou o texto.

Tudo o que sabemos sobre:
LiteraturaAriano Suassuna

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.