O Brasil dos Simpsons, domingo na TV

Macacos e cobras nas ruas, crianças pedindo esmolas e violência generalizada. O velho estereótipo que os Estados Unidos fazem do País será visto novamente nas telas brasileiras graças à série mais genial e politicamente incorreta de todos os tempos: Os Simpsons. Depois de ser adiado duas vezes, será exibido no Brasil o polêmico episódio em que Homer, Margie, Bart, Lisa e Maggie visitam o Rio de Janeiro pela primeira vez. O canal de tevê a cabo Fox veicula O Feitiço de Lisa (Blame It on Lisa) no dia 8 de dezembro, às 20h30. Nos Estados Unidos, a exibição ocorreu em março, há quase nove meses.A Fox anunciou que, para evitar problemas, vai veicular antes do episódio um comunicado dizendo que "não é responsável pela visão dos criadores da série". É uma tentativa de evitar as reclamações ocorridas no Brasil após sua exibição no exterior.Na época, até o presidente Fernando Henrique Cardoso declarou que o desenho reforçava uma imagem distorcida do País. O secretário de Turismo do Rio, José Eduardo Guinle, foi mais longe: ameaçou entrar na Justiça contra a Fox Cable International, que produz o desenho. Ele só voltou atrás quando o produtor-executivo James L. Brooks pediu desculpas.Mas Guinle manteve o pedido de doações às obras sociais da Prefeitura, "já que eles estão mesmo preocupados com os órfãos cariocas", ironizou o secretário. "Se fosse minha empresa, manteria a ação. Mas sou secretário e não posso correr o risco de perder uma ação tão cara."A atitude satírica dos Simpsons já havia motivado um pedido de desculpas. Na ocasião, o criador da série, o cartunista Matt Groening, pediu desculpas pessoalmente aos australianos por divulgar "estereótipos" do país num episódio. "Não sabíamos nada sobre a Austrália. Sabemos apenas que fizemos algo errado, então decidimos assumir o erro do jeito mais simples."Em outro episódio, na Hungria, um imigrante revela a Bart sua identidade e diz que "gosta de beber sangue". A frase também suscitou críticas por parte das minorias européias, especialmente romenos e ciganos. E nem os americanos escaparam: no capítulo em que os Simpsons vão a Nova York, Homer é assaltado, leva um tiro e é enganado por imigrantes e taxistas.A visita ao Brasil é uma história que se costumava chamar de "samba do crioulo doido". Em Blame It on Lisa - uma alusão ao filme Blame it on Rio ("A Culpa é do Rio"), com Michael Caine e Demi Moore -, eles vêm ao Brasil à procura de Ronaldo, uma criança órfã que Lisa conhece após fazer doações pelo telefone. Ao som de bossa nova, os Simpsons embarcam para o Rio. Bart quer aprender espanhol - "a capital do Brasil não é Buenos Aires?" -, mas Margie o corrige: "Lá se fala português." Há brincadeiras também, claro, com o amor dos brasileiros pelo futebol. No hotel, os funcionários chutam as malas - e tudo mais que encontram pela frente. A trilha sonora é salsa pura. Na TV, a apresentadora de um programa infantil - quem será? - é uma loira sexy com fartos seios.A partir daí, o roteiro pega mais pesado. A família vai procurar Ronaldo no Orfanato dos Anjos Imundos, mas ele sumiu. Homer e Bart andam em ruas cheias de ratos e são assaltados. Ao parar um táxi, Homer é seqüestrado e levado para a Amazônia. O resgate é pago no Pão de Açúcar, mas o bondinho cai e Bart é devorado por uma sucuri. Nada como um típico dia na metrópole brasileira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.