O bom do rock independente e descentralizado

O bom do rock independente e descentralizado

Festival do Circuito Fora do Eixo reúne bandas que rodam pelo País em bem-sucedido esquema de circulação

Lauro Lisboa Garcia, O Estado de S.Paulo

06 de abril de 2010 | 00h00

Uma rede de produtores, artistas e divulgadores, formada há 4 anos, tem sido responsável pelo bom encaminhamento de bandas independentes por várias regiões do País, fora do eixo Rio-São Paulo. São coletivos de produção localizados em 45 pontos em quase todos os Estados brasileiros, que têm possibilitado a circulação de ótimas bandas como Macaco Bong, de Mato Grosso, Caldo de Piaba, do Acre, e Mini Box Lunar, do Amapá. Uma boa mostra do resultado desse trabalho - mais uma evidência irreversível da descentralização da música nesta era digital - pode ser visto em São Paulo, a partir de hoje em vários palcos, no festival que traz destaques do Circuito Fora do Eixo, como as três bandas citadas.

Entre nomes de certa maneira consagrados no meio indie e revelações, o festival traz o veterano Jards Macalé (Rio), Cabruêra e Burro Morto (ambos da Paraíba), Porcas Borboletas (Minas), Canastra (Rio), ao lado de Nevilton (Paraná), Facas Voadoras (Mato Grosso do Sul) e Calistoga (Rio Grande do Norte).

O Mini Box Lunar abre a programação com sua moderna psicodelia, que não destoa do estilo de Macalé. Outra combinação interessante é a do quinteto instrumental Burro Morto com o Cabruêra, que fundem jazz, rock e funk com ritmos brasileiros. É quinta no Tapas Club (Rua Augusta, 1.246, 2574-1444), a partir das 23 horas, com ingressos a R$ 15.

Uma noite que promete ser das mais incendiárias é a de amanhã, quando Macaco Bong e Caldo de Piaba tocam no Studio SP. São duas ótimas bandas que fazem música instrumental a partir do rock, mas têm estilos e influências diferentes. O power trio de Mato Grosso, por sinal, foi uma inspiração para o trio do Acre, conforme conta o baterista Di Deus. "O Macaco Bong já é um antigo parceiro do Coletivo Catraia. É uma grande honra pra gente tocar no mesmo palco deles, porque eles são exemplos para nós em vários sentidos: na atitude, na forma de gestão da carreira, no simbolismo do power trio. Quando formamos uma banda instrumental, nos sentimos estimulados por eles já estarem trilhando esse caminho", diz o músico.

Se o Macaco já vem ganhando território nacional, com grande credibilidade, é recomendável ficar de olho também no Caldo de Piaba. Com um segundo EP que pode ser baixado no portal Nagulha (http://nagulha.com.br) e preparando o primeiro álbum, o grupo mistura rock com influências caribenhas, guitarrada, bolero, funk, afro-samba e lambada.

Além das atrações musicais (leia programação no quadro), o Fora do Eixo abre espaço para workshops e manifestações cênicas. No domingo, às 14 horas, duas horas antes do show da banda Porcas Borboletas, a Colmeia Cultural apresenta a peça Marias de Deus, sobre o universo feminino, no Centro Cultural Rio Verde (Rua Belmiro Braga, 119, 3459-5321, Vila Madalena), com ingressos a R$ 10.

Programação

Mini Box Lunar+ Macalé

Hoje, 20 h

Itaú Cultural

Macaco Bong + Caldo de Piaba

Amanhã, 23 h

Studio SP

Burro Morto + Cabruêra

Quinta, 23 h

Tapas Club

Nevilton

Sexta, 23 h

Livraria da Esquina A

Facas Voadoras + Canastra Sábado, 19 h

CB

Calistoga

Sábado, 23 h

Livraria da Esquina B

Porcas Borboletas

Domingo, 14 h

Centro Cultural Rio Verde

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.