O 'BANDIDO' REINVENTADO

Parceira, na arte e na vida (por 35 anos!) de Rogério Sganzerla, Helena Ignez é a primeira a admitir que filmar o roteiro do ex-marido se tornou para ela uma necessidade vital. Você vai ter agora a oportunidade de avaliar um dos mais belos filmes brasileiros recentes. A questão é: Luz nas Trevas tem perfil para se tornar competitivo no mercado? É a última questão com que você deve se preocupar. Há um cinema brasileiro feito de olho no mercado, mas, muitas vezes, apesar de todo o cálculo para atrair o público, a coisa não funciona. É há o cinema independente, de autor, que consegue ser 'prazeroso'.

O Estado de S.Paulo

06 de maio de 2012 | 03h08

É o caso de Luz nas Trevas. O filme retoma personagens do cultuado O Bandido da Luz Vermelha, que Sganzerla realizou em 1968, na Boca do Lixo. Ney Matogrosso refaz o personagem que Paulo Villaça interpretou no filme antigo e Luz Vermelha continua sendo decisivo na trama. Mas o filme é agora centrado em seu filho.

Luz nas Trevas dialoga com O Bandido da Luz Vermelha. Você não precisa conhecer o filme antigo, mas desfrutará mais as referências e aproximações. Helena Ignez é a autora. Divide a codireção com Ícaro Martins. Sua filha, Djin Sganzerla, e o novato André Guerreiro Lopes formam uma dupla luminosa e cheia de erotismo. / LUIZ CARLOS MERTEN

LUZ NAS TREVAS - A VOLTA DO BANDIDO DA LUZ VERMELHA

Direção: Helena Ignez e Ícaro Martins. Elenco: Djin Sganzerla, Ney Matogrosso. Estreia sexta

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.