O amor é tema do novo livro de Mario Vargas Llosa

O escritor peruano Mario Vargas Llosa trata do amor como tema central de seu novo romance, para surpresa do seu público leitor e da crítica. A política e a violência foram sempre traços marcantes em sua obra literária. Na vida, sempre dividido entre a escrita e a política, Vargas Llosa fez sua estréia no cenário literário mundial com Batismo de Fogo, de 1962, cujo enredo se passa em uma escola militar. Em Pantaleão e as Visitadoras, de 1973, conta a história de um militar sério encarregado pelo Exército de organizar um bordel na Amazônia peruana. Em 1981, publicou o que talvez seja seu livro mais conhecido no Brasil, A Guerra do Fim do Mundo, no qual narra a história da Guerra de Canudos. No recente A Festa do Bode, de 2000, o romance gira em torno do ditador Rafael Trujillo, que governou a República Dominicana de 1930 a 1961. Vargas Llosa disse hoje que seu novo romance, Travessuras de Una Niña Mala (Travessuras de uma garota má) lida com um tema que não havia explorado até agora: o amor. "O amor está presente em todos os romances que escrevi, mas em nenhum deles é o tema central", disse o escritor de 70 anos de idade, durante o lançamento internacional de seu novo livro.Travesuras de La Niña Mala descreve uma atormentada rela~~ao amorosa entre um tradutor peruano, Ricardo, e Lily, uma garota de classe baixa de Lima, que vai mudando de identidade de forma reiterada ao mudar-se de país para país, e contrair sucessivos matrimônios a fim de satisfazer suas ambições.O romance envolve um período de 40 anos. A história se passa em Lima na década de 50, em Paris na de 60, em Londres na de 70 e em Madri na de 80 - cidades onde Vargas Llosa passou longos períodos criativos.A diferença entre este romance e o anterior, A Festa do Bode, que contém uma detalhada investigação para descrever a vida do ditador dominicano Rafael Leónidas Trujillo, em Travesuras de La Niña Mala, disse o romancista, "só tive que fechar os olhos e lembrar os últimos 40 anos em que fui testemunha e ator de diferentes mudanças".O autor disse que sua intenção era descrever uma história de amor moderna, mesclando recordações e fantasias. "Contar uma história de amor é um tema recorrente na literatura e isso faz com que seja ainda mais difícil", acrescentou. "Queria escrever uma história de amor moderna, um amor que não está condicionado pela família, cultura, sociedade, por mitos ou ritos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.