O álbum que fez Martinho da Vila cair no samba

Na moita, no estúdio da Continental, centro do Rio, Martinho José Ferreira (foto) gravou seu primeiro LP em 1968, Nem todo crioulo é doido, lançado pela Disc News. Logo depois ele estourava com Casa de Bamba no IV Festival Record e era contratado pela RCA. A Discobertas, do pesquisador Marcelo Fróes, lança agora em CD remasterizado o vinil histórico. O título era uma resposta ao musical Samba do crioulo doido, de Stanislaw Ponte Preta (Sérgio Porto), que parodiava a imposição às escolas de samba de fazerem enredos edificantes baseados em fatos históricos. Bancado em parte pelo próprio Martinho, o LP é uma empreitada coletiva que conta ainda com Anália, Antônio Grande, Cabana, Darcy da Mangueira, Mário e Zuzuca. Na contracapa, Martinho escreve: "Não dá pra ser chamado de 'crioulo doido', pois a higiene mental é feita nos terreiros de ensaios, onde se ouve samba puro, independente dos esquemas dos enredos." / ROBERTO MUGGIATI

O Estado de S.Paulo

13 de abril de 2013 | 02h14

MARTINHO DA VILA

NEM TODO CRIOLO É DOIDO

Preço médio: R$ 32

BOM

OUÇA TAMBÉM

CORAÇÃO DA GENTE

Artista: Paulinho da Viola

Álbum: Paulinho da Viola Gravadora: Warner

Preço médio: R$ 29

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.