O adeus a Mauro Rasi

Aplausos prolongados marcaram o enterro do dramaturgo Mauro Rasi, hoje ao meio-dia, no Cemitério dos Ingleses, no centro do Rio. Foi o último atode uma vida exposta em sua obra. Personagens dos quais falou, como a irmã Dinéia Rasi Baptista e a socialite Vera Loyola, estavam ao lado de atores que os viveram em cena, como Marcos Frota, que foi o próprio Rasi, em Cerimônia do Adeus, de 1987; Vera Holtz, que viveu sua mãe, em Pérola, e Sérgio Mamberti, que o conheceu adolescente e foi seu pai, Vado, na já citada Pérola e em O Crime do Dr. Alvarenga.Mais que chorar o amigo, doente há cerca de um ano, todos lembravam sua alegria, sua disposição para uma vida cheia de estilo. "Ele viveu como um personagem de Luchino Visconti. Era agradável e fiel a seus princípios. Foi um dos maiores dramaturgos de sua geração", disse o ator Paulo Betti, que protagonizou Viagem a Forli. Cláudia Gimenez, que reencena seuprimeiro texto levado aos palcos no Rio, Batalha de Arroz num Ringue para Dois, com Miguel Falabella. completava: "O Cemitériodos Ingleses é sua última piada. Ele era positivo e engraçado."Falabella não estava no enterro (grava cerca de dez horas por diaa novela Agora é que São Elas, da Rede Globo), mas certamente sente sua falta. Foi dele a idéia de, no início do ano, remontarBatalha, sucesso da década de 80, que iniciou a comédia leve que ficaria conhecida como besteirol. O ator e diretor nega, masas pessoas próximas contavam que voltou ao espetáculo para cobrir as despesas do amigo doente, sem condição de trabalhar,mas ainda atuante e levantando a produção de Ladies da Magrugada, o musical que seria sua obra prima, para o qual ele compôstodas as canções.Mamberti, escolhido por Rasi para ser o protagonista do espetáculo, recordava: "Eu o conheci aos 13 anos e o considerava oChecov de Bauru. Agora, com sua morte, talvez se tenha uma visão profunda de sua obra." Abraçada a ele, a atriz Arlete Sallesestava abatida. "Estamos tristes. Ele era um artista maravilhoso. Pessoalmente, perco o carinho de um grande amigo",comentou.Vera Loyola lamentava perder um cúmplice. "Tínhamosafinidades, especialmente no nosso amor pelos animais", lembrou. "Ele sempre me citava com graça e simpatia. Eu e os animaisperdemos um defensor." A irmã Dinéia informou que os quatro gatos e o cachorro de que Rasi falava em suas crônicas voltampara Bauru, onde ele nasceu e onde ela vive até hoje. "Já tem gente querendo adotá-los", contou. "Por enquanto, ficarãoconosco." Dinéia prometeu também que Ladies na Madrugada será montado como Rasi queria. "Era seu sonho, temos querealizá-lo", garantiu.Às 12 horas em ponto, protegido por policiais militares (um deles armado com fuzil para garantir a segurança, jáque o cemitério fica junto ao Morro da Providência, a primeira favela do Rio), o pastor anglicano Simon Boxall fez a oração e ocaixão desceu até o túmulo. Artistas como Paulo Goulart e Nicete Bruno, Stella Miranda, Débora Bloch e os outros seguiramjuntos e choraram quando Marcos Frota fez a despedida."Obrigada, Mauro, você nos proporcionou muita alegria. Que você também a tenha onde estiver."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.