Nuno Camarneiro apresenta romance de estreia no Brasil

Numa semana entre o Natal e o Ano Novo, esse tempo suspenso em que as pessoas estão mais reflexivas e caseiras avaliando erros e acertos do ano que se despede e fazendo promessas para o que começa, uma tempestade atinge um povoado litorâneo de Portugal e os moradores de um prédio se veem tendo de conviver ao mesmo tempo com esses seus fantasmas e com os vizinhos. É inverno, falta energia, o aquecedor não funciona, ninguém sai de casa - e se sai, é para ir ao apartamento ao lado.

AE, Agência Estado

31 de dezembro de 2012 | 09h21

Essa espécie de purgatório é o enredo de Debaixo de Algum Céu, que até poucos dias seria apenas o original do segundo romance de um jovem escritor. Mas a história rendeu a seu autor, o português Nuno Camarneiro, o Prêmio Leya, 100 mil euros, a edição do livro, que sai em março, uma chance de integrar a nova geração de escritores portugueses e um novo olhar para seu título de estreia, No Meu Peito Não Cabem Pássaros, que, coincidentemente, acaba de ser lançado no Brasil.

Nuno, que veio ao País em novembro com os conterrâneos Patrícia Reis, Sandro William Junqueira, João Ricardo Pedra e Patrícia Portela para divulgar a coleção Novíssimos, da Leya, tem 35 anos e não se dedica exclusivamente à escrita. Formado em Engenharia Física, já trabalhou na Organização Europeia Para a Investigação Nuclear (CERN) em Genebra, fez doutorado em Ciência Aplicada ao Patrimônio Cultural em Florença e hoje é professor no curso de restauro, ensinando técnicas de análise de obras de arte.

Para investigar esse processo criativo, Nuno recorreu a três de seus escritores preferidos, que viraram, direta ou indiretamente, seus personagens: Fernando Pessoa, Jorge Luis Borges e Kafka. Trata os dois primeiros pelo prenome. De Kafka, tomou emprestado o personagem Karl, de Amerika. E foi imaginando o que teria acontecido com eles - se a descoberta do talento teria sido na infância, na juventude, se o fato de terem visto o cometa os influenciou de alguma forma - que ele construiu seu primeiro romance. No Meu Peito Não Cabem Pássaros pode ser lido mesmo por quem não conhece os personagens, mas quem já os conhece vai encontrar pormenores, questões relacionadas à vida e à obra deles. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

NO MEU PEITO NÃO CABEM PÁSSAROS (Autor: Nuno Camarneiro; Editora: Leya; 192 págs., 29,90).

Tudo o que sabemos sobre:
livroNuno Camarneirolançamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.