Christina Rufatto / Estadão
Christina Rufatto / Estadão

Número 2 da cultura no governo Bolsonaro é demitido

Paulo Soares Martins ocupava o cargo no lugar de Roberto Alvim

Mateus Vargas, O Estado de S. Paulo

22 de janeiro de 2020 | 16h10

BRASÍLIA - O secretario-adjunto da Cultura no governo federal, Paulo Soares Martins, foi exonerado nesta quarta-feira, 22, informou a Secretaria Especial de Cultura.

Ele ocupava interinamente o comando da cultura desde sexta-feira, 17, quando o dramaturgo Roberto Alvim foi demitido por parafrasear o nazista Joseph Goebbels.

A demissão foi anunciada por Martins a seus colegas na cultura nesta quarta. Ele havia sido comunicado pelo ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, que deixaria o cargo.

O Estado apurou que Martins foi pego de surpresa pela demissão. Em nota, ele disse à reportagem que desconhece qual motivo levou a sua saída.

No último dia 14, um e-mail sobre “objetivos” para 2020, enviado “em nome” do ex-secretário-adjunto a chefes da Secretaria de Cultura e a órgãos vinculados, como a Agência Nacional de Cinema (Ancine), endossava o discurso de “guerra cultura” defendido por Alvim.  

A mensagem, divulgada pelo The Intercept, a qual o Estado também teve acesso, afirma que a cultura no Brasil deveria ser norteada em “princípios e valores da nossa civilização” e “profunda ligação com Deus”. O mesmo texto cita ainda “luta contra o que degenera”.

O texto causou constrangimento dentro do governo e foi considerado “fora do tom” por gestores da cultura ouvidos pelo Estado. Martins afirmou à reportagem “que apenas reproduzia as orientações do então secretário da Cultura (Alvim)”.


Para Entender

As idas e vindas da Cultura no governo Bolsonaro

Ministério foi extinto em janeiro para criação da Secretaria Especial de Cultura, que foi incorporada ao Ministério da Cidadania e, depois, ao do Turismo; trocas nas lideranças dos órgãos geraram críticas ao governo


A atriz Regina Duarte foi convidada após a queda de Alvim para assumir o comando da cultura. Ela almoçou com o presidente Jair Bolsonaro nesta quarta, em Brasília. Nas redes, Bolsonaro disse que o "noivado" com a atriz continua 

Martins entrou na governo federal em 2016, quando atuou junto do ex- ministro da Cultura, Marcelo Calero.  A Secretaria Especial da Cultura não informa quem irá substituí-lo.

Tudo o que sabemos sobre:
Secretaria Especial da Cultura

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.