Nudez, políticos e uma prisão: é a moda em Roma

Assim como São Paulo, Roma também está vendo as coleções de moda que seus estilistas prepararam para as próximas estações, que no caso deles são primavera e verão. E se aqui a São Paulo Fashion Week foi palco de um agito por causa da gravação de um capítulo de Celebridade, lá os italianos mostraram que também sabem criar polêmicas. Em apenas um dia, o primeiro-ministro Silvio Berlusconi deu o ar de sua graça, um desfile de grife apresentou mulheres quase nuas e praticamente nenhuma roupa e uma cadeia feminina nos arredores da Cidade Eterna foi palco de um animado desfile. Berlusconi chamou o mundo fashion para uma festa em seu Palazzo Chigi, e contou a jornalistas e estilistas histórias de sua vida pessoal. Ao que parece, não animou muito, mas fez revelações que a imprensa de fofoca italiana deve ter gostado: admitiu que fez plástica em dezembro por sugestão da mulher. Também disse que está dez quilos mais magro e que por isso pôde voltar a usar ternos de mais de dez anos, o que pode ter tido má repercussão entre estilistas.Já o estilista Franco Ciambella apresentou uma "coleção" primavera-verão nada ortodoxa. Isso porque as quatro modelos que ele usou no desfile apareceram sobre a passarela cobertas apenas com um tecido transparente, ou seja, seu corpo nu apareceu por inteiro. Enquanto a platéia se dividiu entre reações pudicas e bem-humoradas, uma crítica do jornal Il Messagero escreveu que Ciambella deve ter ficado sem dinheiro para mostrar uma coleção. "Que outra razão faria um estilista cujo trabalho é mostrar roupas aparecer com mulheres nuas?", perguntou a jornalista. Muito mais bem recebido foi o desfile de um grupo de grifes na prisão de Rebibbia, nas cercanias de Roma, onde ficam presas apenas mulheres. As detentas adoraram ver o desfile, e pediram mais moda nos dias seguintes. Elas poderão não ver outros desfiles, mas dez delas vão participar de um curso no Instituto Europeu de Moda e, em julho, apresentar uma coleção em seu próprio desfile.

Agencia Estado,

30 de janeiro de 2004 | 13h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.