Novos iPods vão ajudar Apple a enfrentar rivais

A Apple deveapresentar novos iPods esta semana, reanimando a linha deprodutos em um momento no qual deserções de parceiros mostramsinais de ruptura em seu domínio sobre o mercado de músicadigital. A Apple não revelou o que o presidente-executivo dacompanhia, Steve Jobs, anunciará em um evento em San Francisconesta quarta-feira, mas os analistas estão apostando em um iPodcom uma grande tela sensível a toques e em um novo formato parao iPod Nano, o menor modelo da linha. Existem também especulações de que Jobs possa fazer umasurpresa e demonstrar iPods com capacidade de download sem fio,ou enfim anunciar que o catálogo de músicas dos Beatles estaráà venda na loja online de música da empresa, a iTunes. Para a Apple, pode ser mais importante que nunca manter seudomínio sobre o mercado de players de música, já que a iTunesestá sob ataque cada vez mais intenso de parceiros de conteúdocomo a NBC, insatisfeitos com a estrutura de preço do conteúdoque ela vende. O iPod respondeu por 29 por cento do faturamento de 5,4bilhões de dólares registrado pela Apple no trimestre passado,e os novos modelos devem chegar às lojas em tempo para aimportante temporada de festas de fim de ano. "Os concorrentes parecem estar sempre correndo atrás damais recente geração de produtos da Apple, o que torna muitodifícil ganhar vantagem sobre a Apple nesse espaço", disseMichael Gartenberg, analista do grupo de pesquisa Gartner. De maneira típica, as ações da Apple estão em alta desde oanúncio do evento, ganhando 13,5 por cento na semana passada.Na terça-feira, elas registraram alta de 5,68 dólares, ou 4,1por cento, e fecharam cotadas s 144,16 dólares na Nasdaq. A Apple também foi beneficiada por dois relatórios, um dosquais do grupo de pesquisa de mercado iSuppli, segundo o qual oiPhone foi o celular inteligente (smartphone) mais vendido dosEstados Unidos em julho. Além disso, a corretora Piper Jaffrayafirmou que as vendas do iPhone e dos computadores Macintoshestão caminhando para superar ligeiramente as expectativas domercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.