Imagem Cristina Padiglione
Colunista
Cristina Padiglione
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Novo 'Zorra' mantém elenco, mas sai do estúdio para abordar o povo

Menos estúdio e mais cenas externas. Menos esquetes de bordões à moda Balança Mas Não Cai, DNA do formato anterior, e mais interação com o público nas ruas, como muito se via no extinto Casseta & Planeta. É nesses moldes que se enquadra o novo Zorra Total. Aliás, só Zorra, sem mais "Total", como manda o batismo nascido da reforma operada pelo diretor Maurício Farias e pelo humorista Marcius Melhem. A dupla, que já trabalha sob o mesmo teto para o Tá no Ar (com Marcelo Adnet) passa também a assinar semanalmente toda a concepção do programa de riso das noites de sábado da Globo, com texto final de Melhem. O elenco mantém em cena suas figuras mais populares, como Fabiana Karla, Thalita Carauta, Rodrigo Sant'Anna e Nelson Freitas, mas nenhum dos personagens que os consagraram no velho Zorra está previsto para voltar a circular por ali. O cast se completa com Luís Miranda, Débora Lamm, Mariana Santos, Flávia Reis, Renata Castro Barbosa, George Sauma, Paulo Mathias e Nando Cunha. 

Cristina Padiglione, O Estado de S.Paulo

27 Dezembro 2014 | 02h04

As gravações começam no dia 12 e a estreia está prevista para abril, assim que o BBB acabar, quando a Globo lança oficialmente a grade do ano. 

A ordem é levar o elenco a interagir com anônimos em espaços públicos e investir mais em comportamento. É o tipo de comunicação que funcionava muito bem com o pessoal do Casseta e Planeta e que foi abandonado com o fim do programa dos rapazes. Os primeiros roteiros preveem ainda cenas de delegacia e aeroporto, itens capazes de gerar identificação na plateia. Será um banho de lojas.

Ser ou não ser. Antonio Fagundes fez participação breve na leitura de Hamlet, que fechou o primeiro Ciclo de Leituras de Peças Teatrais do Projac, com Thiago Lacerda, Luis Melo, Cassia Kis Magro, Bianca Comparato, Ary Coslov, Angelo Antonio e Bruno Fagundes, entre outros.

Chitãozinho e Xororó abriram o bem-sucedido quadro Bem Sertanejo no Fantástico, em seguida foram para o SBT, comandar o Festival Sertanejo - então na condição de apresentadores -, e agora, ao fim do compromisso com Silvio Santos, voltam ao Fantástico amanhã, para coroar o mesmo Bem Sertanejo.

É que como a seção pilotada por Michel Teló foi muito bem em audiência, a Globo vai tirar mais uma lasquinha do Bem Sertanejo, reunindo boa parte dos músicos que se revezaram no Fantástico, ao longo de duas temporadas, para um churrasco de fim de ano.

Carlos, o Chacal, minissérie franco-alemã que teve duas indicações para o Globo de Ouro, foi adquirida pela Band e vai ao ar no dia 1.º, às 22h35, e dia 2, após a reprise do Pânico. A série enfoca a vida do ativista que sequestrou 11 ministros de países membros Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), em Viena, na Áustria.

O enxugamento de gastos na TV Cultura não deve abalar os planos da emissora para uma coprodução de nova versão de Vila Sésamo com a TV Brasil, prevista para 2015.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.