Novo selo mira a Copa de 2014

MARIA FERNANDA RODRIGUES

MARIAF.RODRIGUES@GRUPOESTADO.COM.BR, O Estado de S.Paulo

30 de junho de 2012 | 03h09

Bateia é o nome do selo editorial que o jornalista Lui Fagundes, um dos coordenadores da coleção Boca a Boca - parceria entre a brasileira Grua e a uruguaia Yaugurú -, está criando. E já são três os projetos, de fôlego, na programação. Dois deles têm a ver com o fato de o Brasil sediar a Copa do Mundo em 2014. Pela coleção Livros do Penta, sairão romances curtos e inéditos de escritores naturais de países onde o Brasil foi campeão: Suécia, Chile, México, Estados Unidos e Japão. As histórias serão ambientadas nas respectivas épocas e o futebol deve ser incorporado ao enredo na medida escolhida pelo autor. Está prevista também uma coletânea de contos com a participação de 32 escritores - um de cada país que jogará no Brasil em 2014. O trabalho maior será o de garimpar esses autores e ajustar o timing: alguns países só se classificarão em outubro de 2013. O primeiro projeto a sair do papel, no entanto, será A Confraria do Jabuti, do próprio Lui, que desde 2006 vem entrevistando romancistas vencedores do prêmio. Há nomes que se mantiveram vivos, como Nélida Piñon, Carlos Heitor Cony, Moacyr Scliar, Ivan Angelo, entre outros. E há nomes já esquecidos. Foram feitas as mesmas perguntas a todos os escritores e sua compilação deve apresentar um painel interessante da relação deles com a literatura, o mercado, a crítica e a figura do editor.

TRADUÇÃO

Quem se interessa pelo Brasil

O Itaú Cultural segue em sua tentativa de mapear a literatura brasileira no exterior e apresenta, na Flip, o estado atual dessa presença. Vai contar, por exemplo, que 225 professores, pesquisadores e tradutores já foram identificados em 28 países. Entre eles, estão 62 brasileiros que atuam há mais de cinco anos no exterior ensinando a literatura feita por aqui. Antes, a função era desempenhada por brasilianistas, quase todos estrangeiros.

*

Os EUA lideram a lista - com 88 profissionais de olho na produção nacional - seguidos por França (16) e México (15). Em 4º está a Alemanha, com 14, mas esse número deve ser ampliado com a homenagem que o Brasil receberá na Feira de Frankfurt em 2013. O alemão Michael Kegler é um desses entusiastas da literatura brasileira. Ele, que virá à Flip pela primeira vez este ano, conta que há pelo menos 25 livros daqui sendo traduzidos para a sua língua - de Clarice Lispector a Andrea Del Fuego.

*

Acaba de chegar às livrarias chilenas Una Literatura en los Trópicos, livro que reúne 12 ensaios de Silviano Santiago, colunista do Sabático. Saiu pela Ediciones Escaparate.

LIVRARIA

Mais espaço e novos desafios

A Livraria da Vila na Flip terá ao menos três novidades este ano. Segundo Rafael Siebel, da área de marketing, ela ocupará uma área de 400 m² - o dobro das edições passadas -, que terá mais a cara das lojas da rede, com mobiliário de antiquário e espaço pa-ra leitura. Terá ainda um posto avançado na Flipinha na hora das sessões de autógrafo. E operará a venda de livros na Casa da Companhia das Letras. Será a primeira vez que uma editora vai vender livro na Flip.

EDITORA

Saia justa

A última Babel publicou que Lobão está escrevendo o Guia Politicamente Incorreto da MPB. Pascoal Soto leu a nota e procurou a Nova Fronteira para avisá-los de que "Guia Politicamente Incorreto" é uma marca registrada da editora que dirige.

*

A resposta: "A Nova Fronteira e o autor estão usando tal nome como título de trabalho, como o posicionamento editorial para a obra, ainda em preparo, pois tem o perfil do Lobão e combina com o projeto apresentado por ele. O título definitivo vem sendo pensado ao longo do processo e será divulgado em breve". Leya, dona do best-seller Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil, entre outros do gênero, respira aliviada.

POLÍTICA

Duas vezes Mészáros

No mês em que lança mais um livro do húngaro István Mészáros, a Boitempo comemora a edição de O Desafio e o Fardo do Tempo Histórico (2007) na Coreia do Sul. A brasileira detém os direitos mundiais dessa obra, que reafirma a necessidade do socialismo no século 21, e já negociou sua edição na Venezuela, Chile, Argentina, Inglaterra e Estados Unidos. O livro que sai agora, A Obra de Sartre: Busca da Liberdade e Desafio da História, é o 120.º do autor de 81 anos.

ROMANCE

De amor e solidão

Sozinho no Deserto é o título do novo romance de Luiz Bras, pseudônimo de Nelson de Oliveira. Sai pela Prumo no segundo semestre e tem como tema central o complexo estado psicológico causado pela solidão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.