Novo "Harry Potter" encanta público e crítica

O fenômeno Harry Potter voltou com tudo às livrarias para bater seu próprios recordes de venda e, de quebra, conquistar elogios da crítica. A Barnes & Noble vendeu em apenas um fim de semana 1 milhão de cópias da nova aventura do bruxinho, Harry Potter e a Ordem de Fênix. A marca, por si só espetacular, corresponde à expectativa de toda uma semana de vendas, conforme a direção da Barnes & Noble.Outras empresas do ramo editorial também comemoram. O Borders Group divulgou ter vendido 750 mil exemplares apenas no sábado. A Amazon.com entregou mais de um milhão de cópias pré-encomendadas, estabelecendo um recorde em sua história.Os números da rede de supermercado Tesco, de Londres, dão uma idéia da força da nova aventura de Harry Potter. Nas primeiras 24 horas, a empresa vendeu 317 mil cópias do livro, o que supera em mais de sete vez o desempenho de Harry Potter e o Cálice de Fogo, o quarto livro, ao longo de toda a sua primeira semana. "O livro quebrou todos os nossos recordes de vendas, e não há dúvida de que será o nosso maior best seller", diz Caroline Ridding, da seção de livros da Tesco.Já se comenta no mercado editorial que a primeira edição de Harry Potter e a Ordem de Fênix (8,5 milhões de cópias só nos Estados Unidos) não dê conta da pottermania. Em algumas livrarias, só há exemplares para quem encomendou com antecedência.Para coroar seu sucesso editorial, Harry Potter ganhou também os elogios da crítica. Até o New York Times se rendeu à pottermania e estampou uma rara crítica em sua capa saudando a "imaginação incansável" da autora, cujo quinto livro era aguardado há quase dois anos. Para a Associated Press, "valeu a pena esperar". Os primeiros quatro livros de J.K. Rowling venderam 192 milhões de exemplares em mais de 200 países, traduzidos para 55 idiomas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.