Novo espaço para debate em São Paulo

Entres as grandes livrarias paulistanas, só a Martins Fontes não tinha ainda um auditório. Não que não quisesse; o problema era a falta de espaço. É consenso que para sobreviverem as livrarias se tornarão cada vez mais espaços de convivência - com o livro, claro, sendo o fio condutor de debates, peças de teatro, apresentações musicais, leituras. Há meses matutando a ideia, Alexandre Martins Fontes finalmente tirou o projeto do papel. Desde o fim da última semana, um conjunto comercial vizinho à loja da Avenida Paulista está sendo reformado para se transformar num auditório para 50 pessoas. A inauguração será em dezembro, mas a programação cultural será apresentada em soft opening. Jonatas Eliakim, ex-Casa do Saber, cuidará da agenda. O espaço estará aberto, de forma gratuita, a projetos culturais - mas desde que esses eventos sejam oferecidos também gratuitamente ao público. O arquiteto Gabriel Kalili é responsável pelo projeto e Maria Helena Cruz, pelo paisagismo - do auditório será possível ver e ir até o terraço superarborizado.

O Estado de S.Paulo

20 Outubro 2012 | 03h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.