Novela Eterna Magia, da Globo, perde anunciantes

Estudo mostra queda de 39% em relação a sua antecessora, O Profeta

Agencia Estado

14 Junho 2007 | 17h58

Não é só em audiência que Eterna Magia, nova novela das 6 da Globo, tem derrapado. O circuito comercial reflete também que o folhetim está longe de emplacar. A trama vem perdendo anunciantes ao longo dos capítulos, segundo levantamento da Controle da Concorrência, empresa que monitora inserções comerciais para o mercado publicitário. A pesquisa traçou um comparativo entre os breaks comerciais da primeira semana no ar da novela (de 14 a 19 de maio) e da terceira semana de exibição (de 28 de maio a 2 de junho). O resultado aponta queda de 58 anunciantes (semana de estréia) para 37 nas semanas mais recentes. Essa redução já fez a novela ir ao ar com dois intervalos apenas, em vez de três. Ainda segundo o levantamento, a Unilever, uma das maiores anunciantes do horário, diminuiu de 11 para 1 inserção sua participação no break de Eterna Magia. Marcas como Bradesco e Coca-Cola, que apostaram na novela em sua estréia, não aparecem entre as inserções da trama nas últimas semanas. A análise também leva em conta as inserções em relação aos intervalos de sua antecessora, O Profeta: houve queda de 39% nas inserções comerciais. Na semana de estréia, O Profeta teve 54 anunciantes diferentes, 4 a menos que Eterna Magia. No entanto, em sua terceira semana no ar, O Profeta saltou para 59 anunciantes. Desde a estréia, Eterna Magia preocupa a alta cúpula da Globo. O primeiro capítulo, na casa dos 30 pontos de audiência, teve platéia inferior à de O Profeta, que bateu a marca dos 34 pontos. Atualmente, a novela oscila entre 26 e 28 pontos de audiência, nada empolgante para um horário que já chegou a registrar 41 pontos em pleno carnaval.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.