Novas negociações com roteiristas dos EUA fracassam

Em greve há cinco semanas, eles não conseguem acordo com os grandes estúdios

Peter Bowes, BBC

08 de dezembro de 2007 | 07h10

A mais recente tentativa de acabar com a greve dos roteiristas de cinema e TV dos Estados Unidos fracassou na noite de sexta-feira, 7, após reunião entre representantes da classe e dos grandes estúdios, em Los Angeles. A paralisação já dura cinco semanas, interrompendo a produção de dezenas de programas de TV e atrasando vários filmes. Tanto os grevistas quantos os estúdios se culpam mutuamente pela estagnação das negociações. Os roteiristas reivindicam participação na comercialização de seus trabalhos em DVD ou pela internet. A Aliança de Produtores de Cinema e Televisão, que reúne os estúdios empregadores, disseram que a última rodada de negociações falhou porque "os sindicatos têm uma estratégia para atrasar e atrapalhar as conversas". Mas, em uma carta a seus membros, o principal sindicato de roteiristas acusa a Aliança de Produtores de demorar em colocar novas propostas na mesa. A disputa cada vez mais acirrada resultou na suspensão de vários dos programas mais populares dos Estados Unidos. Os talk-shows noturnos, que dependem dos roteiristas para fazer piadas com as notícias do dia, estão fora do ar desde o início da greve, em um prejuízo de milhões de dólares para a indústria.   BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
greveroteiristas nos EUAhollywood

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.