Spencer T Tucker/Efe
Spencer T Tucker/Efe

Nova York inaugura obra do silenciado dissidente chinês Ai Weiwei

Artista está detido há mais de um mês na China; Ventral Park abriga a exposição com cabeças de animais de bronze

Efe,

05 de maio de 2011 | 01h53

NOVA YORK - Foi inaugurada nesta quarta-feira, 4, no Central Park de Nova York, uma exposição com 12 grandes cabeças de animais de bronze esculpidas pelo famoso artista conceitual chinês Ai Weiwei, que está detido há um mês em seu país, apesar das queixas da comunidade internacional.

 

"É uma honra celebrar a abertura desta notável obra de arte de um dos cidadãos mais criativos e corajosos do mundo: Ai Weiwei", disse na quarta-feira, 4, o próprio prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, no ato da inauguração da mostra, que recria os símbolos do horóscopo chinês.

 

Para Bloomberg, "é muito preocupante que não se saiba onde está ou quando será libertado" este artista e dissidente de 53 anos.

 

Segundo uma carta que, sob pseudônimo, um jornalista da agência de notícias chinesa Xinhua enviou à ONG Human Rights in China, que Ai poderia estar sendo torturado, assim como o advogado Gao Zhisheng, desaparecido desde 2009, de quem a polícia guarda um vídeo que mostraria uma brutal sessão de tortura para obter uma falsa confissão de crimes financeiros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.