Nova geração da arte urbana ganha exposição em SP

Seis artistas da nova geração da arte contemporânea urbana vão ganhar uma exposição coletiva, a partir deste sábado, na galeria Choque Cultural, em São Paulo. São pinturas, desenhos, esculturas, vídeos e fotografias, além de instalação, arte ambiente e intervenções no entorno do local. Segundo o curador da mostra, Baixo Ribeiro, o objetivo é criar um diálogo entre o experimental e o comercial, apresentando artistas emergentes aos colecionadores e ao público.

AE, Agência Estado

18 de março de 2011 | 17h31

A mostra reunirá obras de Cesar Profeta, Patrícia Colli (conhecida como Pacolli), Emerson Pingarilho, Fefe Talavera e dos coletivos Base-V e SHN. "São artistas com os mais variados tipos de obras. O Base-V, por exemplo, trabalha com instalações. Já o coletivo SHN atua em várias frentes. São artistas que trabalham com formatos diferentes, mas que tinham o trabalho pouco divulgado em galerias", afirmou Ribeiro.

O gaúcho Emerson Pingarilho, que participa pelo segundo ano consecutivo de uma coletiva na galeria, vai expor cinco pinturas em tinta acrílica que são um complemento da série que o artista desenvolveu no último ano. "Nas obras predominam um estilo geométrico-figurativo, com influência de grafismo indígena", diz Pingarilho. Em 2010, o artista participou da coletiva com desenhos em nanquim.

Vindo do grafite, Cesar Profeta vai mostrar duas telas. Uma delas, "Raio Dois", de 1,50m x 2,0m, surgiu da observação que o artista fez da cidade repleta de raios durante a temporada de chuvas de verão. Já o Coletivo Base-V estreia na exposição com uma produção que usa desenho com carvão e variações de pintura acrílica. O outro coletivo da mostra, o SHN, vai apresentar quatro trabalhos, entre eles uma instalação com 20 fotos e um painel de 1,40m x 1,40m em silk screen.

A exposição terá ainda os trabalhos de Fefe Talavera, que apresentará uma série de desenhos sobre vidro pintado. E finalizando, Patricia Colli, vai mostrar sua produção de fanzines e ilustrações.

"Esta é uma iniciativa que considero positiva. Todos os artistas de certa forma já se conhecem. Será uma exposição bem heterogênea, que mistura desenho, arte pop, esculturas e fotografias", afirmou Pingarilho. Além da exposição, o visitante poderá participar de encontros com os artistas, workshops com colecionadores e visitas guiadas.

Coletiva Choque 2011 - Rua João Moura, 997, Pinheiros. Telefone: (11) 3061-4051. De 19 de março a 21 de maio. Terça a sábado, das 12h às 19h. Grátis. Livre. www.choquecultural.com.br

Tudo o que sabemos sobre:
exposiçãoarte urbana

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.