Noutras palavras, ele também é muito romântico

Além da ênfase no samba, Diminuto é um álbum de texturas sutis, arranjos de cordas e temática romântica que valorizam o melodista Carlinhos Brown. Ele próprio reconhece que, embora tenha tido belas canções gravadas por Marisa Monte, Maria Bethânia, Jussara Silveira, Bebel Gilberto e outros intérpretes, poucos se dão conta de sua autoria naquelas canções. Enfatizar o caráter autoral nesse caso é novidade para ele.

Lauro Lisboa Garcia, O Estado de S.Paulo

30 de outubro de 2010 | 00h00

O sotaque carioca do samba já se anuncia na boa faixa de abertura, Centro da Saudade (dele, Davi Moraes e Pedro Baby), que não destoaria do novo álbum de Zeca Pagodinho, Vida da Minha Vida, também recheado de sambas românticos. Outra faixa significativa dessa associação é Você Merece Samba. Verdade, Uma Ilusão tem a marca reggaeira dos Paralamas e dos Tribalistas, entre os quais Brown faz a ponte segura. Com nítidas referências da tradição nordestina, a toada Pestaneja tem algo de soul e Vi, Voou parece cruzar Dominguinhos e Gilberto Gil.

Em Mãos Denhas, Brown vem com um neologismo no título, em que o compositor exercita mais uma vez o sentir, sem necessariamente precisar fazer sentido. Ele deixa a entender que a mão que não desdenha também não ordenha, é "a mão que perfuma-se para estar melhor para o outro e dividir a beleza". Perfume, mão, sambolero - tem a ver com a empresa de cosméticos que o patrocinou e mexe com a vaidade das mulheres. Coincidência ou não, a voz grave de Chico Buarque no texto falado na canção também é sedutora para muitas delas. Está tudo interligado. Noutras palavras, Brown também é muito romântico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.