Norueguês Per Petterson recebe prêmio literário de R$ 270 mil

Out Stealing Horses vence premiação de maior valor monetário do mundo

Agencia Estado

14 de junho de 2007 | 17h57

O escritor norueguês Per Petterson e sua tradutora Anne Born receberam o prêmio literário de maior valor monetário do mundo por uma única obra de ficção em inglês, nesta quinta-feira, 14, pelo romance Out Stealing Horses.Petterson recebeu 100 mil euros (R$ 266 mil), dos quais Born ficará com 25 mil euros , por seu romance sobre um viúvo norueguês solitário de 67 anos cujo encontro casual com uma pessoa que conhecera na juventude desencadeia memórias dolorosas."É um homem muito feliz que está à sua frente. Um homem surpreso", disse Petterson depois de o prefeito de Dublin tê-lo declarado vencedor do 12o Prêmio Literário Internacional IMPAC Dublin."Parece que, com este livro, sou o garoto com as calças de ouro, e a cada vez que ponho a mão em meus bolsos, encontro uma moeda de ouro", disse ele. "É tão bacana."O IMPAC descreveu Out Stealing Horses, que já ganhara o Prêmio Independente de Ficção Estrangeira 2006, como "história comovente sobre uma visão de mundo que se transforma ... e de nostalgia por um modo de vida mais simples."ConcorrentesPetterson, que antes de ser escritor era livreiro, disse que o dinheiro do prêmio será útil. "Com dinheiro como esse será possível comprar muito tempo para escrever, e nada de fome por algum tempo", disse ele à Reuters em entrevista."Este prêmio significa reconhecimento internacional para um escritor norueguês. Não é fácil conseguir ser traduzido do norueguês para o inglês."Out Stealing Horses derrotou sete outros livros, incluindo Homem Lento, do Prêmio Nobel sul-africano J.M. Coetzee, Shalimar, o Equilibrista, do britânico nascido na Índia Salman Rushdie, e A Long Long Way, do irlandês Sebastian Barry.Dois livros de autores britânicos estavam entre os finalistas para o prêmio: Arthur & George, de Julian Barnes, e The Short Day Dying, de Peter Hobbs. Os escritores americanos Cormac McCarthy e Jonathan Safran Foer também figuraram entre os oito finalistas, com seus romances Onde os Velhos Não Têm Vez e Extremamente Alto & Incrivelmente Perto.Os títulos finalistas foram selecionados entre 138 romances indicados por 169 bibliotecas em 49 países, e o vencedor foi escolhido por um júri de cinco jurados internacionais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.