Norueguês Per Petterson recebe prêmio literário de R$ 270 mil

Out Stealing Horses vence premiação de maior valor monetário do mundo

Agencia Estado

14 Junho 2007 | 17h57

O escritor norueguês Per Petterson e sua tradutora Anne Born receberam o prêmio literário de maior valor monetário do mundo por uma única obra de ficção em inglês, nesta quinta-feira, 14, pelo romance Out Stealing Horses. Petterson recebeu 100 mil euros (R$ 266 mil), dos quais Born ficará com 25 mil euros , por seu romance sobre um viúvo norueguês solitário de 67 anos cujo encontro casual com uma pessoa que conhecera na juventude desencadeia memórias dolorosas. "É um homem muito feliz que está à sua frente. Um homem surpreso", disse Petterson depois de o prefeito de Dublin tê-lo declarado vencedor do 12o Prêmio Literário Internacional IMPAC Dublin. "Parece que, com este livro, sou o garoto com as calças de ouro, e a cada vez que ponho a mão em meus bolsos, encontro uma moeda de ouro", disse ele. "É tão bacana." O IMPAC descreveu Out Stealing Horses, que já ganhara o Prêmio Independente de Ficção Estrangeira 2006, como "história comovente sobre uma visão de mundo que se transforma ... e de nostalgia por um modo de vida mais simples." Concorrentes Petterson, que antes de ser escritor era livreiro, disse que o dinheiro do prêmio será útil. "Com dinheiro como esse será possível comprar muito tempo para escrever, e nada de fome por algum tempo", disse ele à Reuters em entrevista. "Este prêmio significa reconhecimento internacional para um escritor norueguês. Não é fácil conseguir ser traduzido do norueguês para o inglês." Out Stealing Horses derrotou sete outros livros, incluindo Homem Lento, do Prêmio Nobel sul-africano J.M. Coetzee, Shalimar, o Equilibrista, do britânico nascido na Índia Salman Rushdie, e A Long Long Way, do irlandês Sebastian Barry. Dois livros de autores britânicos estavam entre os finalistas para o prêmio: Arthur & George, de Julian Barnes, e The Short Day Dying, de Peter Hobbs. Os escritores americanos Cormac McCarthy e Jonathan Safran Foer também figuraram entre os oito finalistas, com seus romances Onde os Velhos Não Têm Vez e Extremamente Alto & Incrivelmente Perto. Os títulos finalistas foram selecionados entre 138 romances indicados por 169 bibliotecas em 49 países, e o vencedor foi escolhido por um júri de cinco jurados internacionais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.