Noites de guitarrada

É tipo uma irmandade de heróis da guitarra. Desde 1996, quando surgiu a primeira formação, o guitarrista Joe Satriani escala um trio de superguitarristas para sair pelo mundo tocando, um combo que batizou de G3. No dia 12, é a vez da nova formação, cuja novidade é o guitarrista do Deep Purple, Steve Morse - além do próprio Satriani e de Joe Petrucci.

O Estado de S.Paulo

07 Outubro 2012 | 03h10

Steve Morse sucedeu a Ritchie Blackmore no Deep Purple, em 1994 - curioso notar que quase Joe Satriani também integrou o grupo, na mesma época, mas foi impedido por conta de uma cláusula no seu contrato com uma gravadora.

Morse é um veterano de raro virtuosismo. Está na estrada desde 1976, quando iniciou a carreira em uma banda chamada Dixie Dregs. Ele diz que aceitou tocar com o G3 nessa excursão não pela possibilidade da exibição técnica, mas por outro motivo.

"A técnica é importante nesse show, mas nós tocamos canções que a plateia pode reconhecer, standards do rock. É um espetáculo para qualquer audiência, não só para guitarristas e músicos. Qualquer público, qualquer faixa etária vai se divertir muito", disse o guitarrista em entrevista ao Estado.

"Não é um problema para a gente escolher o repertório. Na verdade, nós conversamos mais por meio da música, às vezes mudamos o repertório totalmente, às vezes mantemos. Depende do jeito que vamos levando o concerto. Agora, por exemplo, não temos a mínima ideia de como será o final."

Morse é considerado um "viciado" em guitarra, pois não passa um dia sem praticar. Diz que isso tem a ver com a sua técnica, que requer exercício contínuo. Como todo guitar hero, é dono de sua própria linha de guitarras, da marca Music Man. O grupo ao qual Morse pertence, o Deep Purple, veio ao Brasil no ano passado. Ele já é o mais longevo guitarrista a tocar com a banda, cuja performance em clássicos como Smoke on the Water e Highway Star é lendária no mundo todo. Morse tem um filho guitarrista, Kevin, que toca na banda New World Martyr. Diz que nunca pode ensinar nada ao filho, que cresceu com a mãe. "Não posso ensinar, mas posso dizer a ele coisas que não deve fazer. Ele também é compositor e lidera uma bela banda", conta. / JOTABÊ MEDEIROS

G3

Quando: Sexta, às 22 h. Onde: Credicard Hall.

Avenida Nações Unidas, 17.955, telefone 4003-5588. Quanto: R$ 80 / R$ 350.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.