Noite de gala no Festival de Dança de Joinville

A noite desta terça-feira vai ser de gala no Festival de Dança de Joinville, em Santa Catarina. O Balé Teatro Castro Alves, de Salvador, apresenta hoje dois de seus espetáculos ao público do evento: Pracatum, de Tíndaro Silvano, e O Arquivo e a Missão, de Cláudio Bernardo.As peças têm características bem diferentes. Pratacum é um balé de intenção ousada, traduzir visualmente a percussão baiana. A trilha sonora do espetáculo foi composta pelo baiano Carlinhos Brown, atualmente na crista da onda com seu trabalho ao lado de Marisa Monte e Arnaldo Antunes. Já O Arquivo e a Missão tem uma base histórica e concreta. Fruto de duas grandes e antigas pesquisas etnográficas sobre o Brasil, o espetáculo atualiza a linguagem do folclore e dos rituais tradicionais. As pesquisas, feitas entre os anos 20 e 40 do século passado, são conhecidas como A Missão de Pesquisas Folclóricas e O Arquivo Luís Corrêa de Azevedo. A junção de seus nomes batizou a peça que o Balé Teatro Castro Alves apresenta hoje em Joinville. A 21ª edição do Festival de Dança de Joinville está em cartaz na cidade catarinense desde o último dia 17 e vai até o próximo domingo. Uma das grandes virtudes do evento é mesclar a apresentação de grandes companhias com estudantes de dança e grupos iniciantes. Para isso, o festival conta com uma programação variada e ampla, que além de apresentações tem cursos, oficinas e exposições. Entre os pontos altos desta edição está, certamente, a apresentação de abertura do evento, com a nova versão de O Grande Circo Místico pelo Balé do Teatro Guaíra, de Curitiba. A companhia é a mesma que produziu o espetáculo original em 1983, contando a história do circo vienense Knie com a trilha sonora original de Chico Buarque e Edu Lobo.

Agencia Estado,

22 de julho de 2003 | 17h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.