Nobel de Literatura sob suspeita

Um escândalo mobiliza os jornais suecos: a suspeita de que a escolha do chinês Gao Xingjiang para o Nobel de Literatura poderia ter vazado antes de seu anúncio oficial, ocorrido na última quinta-feira. A imprensa de Estocolmo questiona o fato de Gao ter mudado de editora poucos dias antes do anúncio. Goran Malmqvist, tradutor de Gao para o sueco e integrante do júri que elege o Nobel, é acusado de ter fornecido informações privilegiadas à editora Atlantis, que teria fechado vantajoso acordo com Gao sabendo de antemão que ele seria premiado. Malmqvist nega tudo. Mas os jornais rebatem dizendo que a Atlantis publica obras de vários integrantes da Academia sueca. Para se ter uma idéia do "empurrão" que o Nobel dá à carreira de um escritor pode-se citar o exemplo de Günter Grass. Desde que foi premiado no ano passado, o autor alemão já faturou mais de US$ 10 milhões, informa sua editora, a Steidl.

Agencia Estado,

16 de outubro de 2000 | 20h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.