No Rio, Tom Cruise divulga novo 'Missão Impossível'

Por volta das 20h de ontem, cerca de 4,5 mil fãs se aglomeravam no charmoso Cinépolis Lagoon, na Lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio de Janeiro, para aguardar a passagem do ator Tom Cruise, da atriz Paula Patton, do diretor Brad Bird (de "Os Incríveis" e "Ratatouille") e do produtor Bryan Burk pelo tapete vermelho. Eles vieram para a capital fluminense para divulgar o filme "Missão Impossível - Protocolo Fantasma", que estreia no Brasil na quarta-feira.

AE, Agência Estado

15 de dezembro de 2011 | 11h21

Nem a forte chuva que caiu à tarde e encharcou o tapete (que foi prontamente trocado por outro) esfriou os fãs. Parte do público foi escolhida por meio de uma promoção da Coca-Cola, que patrocinou o filme. Outra parte foi selecionada em fã-clubes.

Por volta das 20h30, Tom Cruise pisou no tapete vermelho enquanto o produtor e DJ holandês Tiësto animava a plateia. Ele assina a versão remixada do tema do filme. O ator passou cerca de 45 minutos atendendo aos fãs e dando autógrafos até chegar à área de imprensa, onde falou com os jornais e TVs.

No longa, Tom Cruise dispensou dublês nas cenas em que aparece escalando o Burj Dubai, em Dubai, o maior prédio do mundo. "Não sei se iríamos ficar conhecidos como aqueles que mataram o Tom Cruise ou como aqueles que fizeram um super filme", disse o produtor Bryan Burk, mais cedo, durante a coletiva com a imprensa no Copacabana Palace.

Mais tarde, Tom Cruise afirmou que o filme foi desafiador para ele, tanto como ator quanto como produtor. "Treinei muito artes marciais", contou. "Para mim, é um privilégio fazer esse tipo de papel. Vou continuar a participar de filmes de ação, mas não sei se meu próximo filme do gênero será Missão Impossível." Do Rio, Tom Cruise, que estava viajando por vários países para promover o filme, voltará para os Estados Unidos. As informações são do Jornal da Tarde.

Tudo o que sabemos sobre:
cinemaTom CruiseRio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.