No palco, Guimarães Rosa e Frankenstein

O Grupo Folias D´Arte e o Ágora CDT(Centro para o Desenvolvimento Teatral), têm algo em comum.Nesses dois teatros há um conjunto de artistas - diretores,atores e técnicos - trabalhando com seriedade para alcançar, nopalco, aquele equilíbrio entre beleza, diversão e reflexão quefaz a delícia da platéia. Esse é o alvo da equipe de criação dos dois espetáculosque inicia nesta quinta-feira temporada no Ágora - Em Alguma Margem, noRio - e no Galpão do Folias - Frankenstein. Viviane Dias éa autora do texto de grande delicadeza livremente inspirado noconto A Terceira Margem do Rio, de Guimarães Rosa. Na formade monólogo, será interpretado por Paulo Barcellos, sob direçãode Jairo Mattos. Frankenstein tem texto e direção deReinaldo Maia e foi escrito a partir da clássica história docientista Victor Frankenstein, vivido por Valdir Rivaben, queresolve imitar Deus e criar a vida. Personagens como Igor eElizabeth serão interpretados por Gisele Valeri e JanaínaPeresan. Uma canoa presa a um tronco de árvore, um pequeno espaçoiluminado no palco, um espetáculo curto, 50 minutos, tudo em tomminimalista, porém não raso. Em Alguma Margem, no Rio, umhomem revê sua vida durante as horas em que sua canoa fica presaa um tronco no rio. O personagem é um sertanejo e Vivianedialoga com Rosa tanto no urdimento da trama - em meio ahistórias de vingança, ciúme e amor há um homem em busca de umsentido para vida - quanto na construção poética. "Guimarães éum autor maravilhoso, mas nem todo mundo ultrapassa a barreirade sua linguagem. Acho que Viviane alcançou o mérito de torná-loacessível, sem perda de essência", diz Jairo Mattos. Imagens do documentário A Arquitetura da Destruiçãosão projetadas num telão no espetáculo Frankenstein. "Todomundo conhece a história. O que nos motivou a fazer esseespetáculo foi refletir sobre um mito recorrente na história, emque a ciência investe na utopia da imortalidade", comenta Maia."E há momentos ainda em que a medicina serve mais à estética doque à cura. Foi assim no nazifascismo, diante dos modelos debeleza grega. E está assim no Brasil de hoje, onde é mais fácilfazer uma plástica do que cuidar de uma pneumonia." Oucontrolar a dengue. "A peça permite mil leituras diferentes.Elas não estarão explícitas no palco, mas sugeridas. A idéia éque o público faça as analogias." Serviço - "Em Alguma Margem, no Rio". De Viviane Dias.Direção Jairo Mattos. De quinta a sábado, às 21 horas; domingo,às 20 horas. R$ 10,00. Ágora. Rua Rui Barbosa, 672, em São Paulo tel. (11) 3284-0290. Até 4/8. "Frankenstein". Texto e direçãoReinaldo Maia. De quinta a sábado, às 21 horas; domingo às 20horas. R$ 15,00. Galpão do Folias. Rua Ana Cintra, 213, em SãoPaulo, tel. (11) 3361-2223. Até 29/9.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.