No MIS, lançamento de documentário sobre Antonio Petivoc

Para Antonio Peticov, há uma força maior que empurra os artistas para o ato de criar - eles têm uma "necessidade de extravasar". "Não sei se o artista está preocupado em salvar o mundo. Cada pessoa é um filtro ao se deparar com sua obra", diz Peticov - enfim, a transformação pode ocorrer ou não, mas a criação no âmbito da arte, "forma sensível", é natural e inevitável para o artista. Essas são algumas idéias que Peticov coloca no documentário Obra Viva - Antonio Peticov, que será lançado nesta terça-feira, 20, no Museu da Imagem e do Som (MIS). Trata-se do segundo filme de uma série de documentários que tem como objetivo revelar o universo e as idéias de artistas plásticos - o primeiro, de 2005, dedicou-se a Osmar Pinheiro, morto no ano passado, e o próximo, terceiro, será sobre Ivald Granato. "É um filme mais conceitual, que indaga sobre as motivações do artista para seguir sua carreira", afirma Peticov. Convidado pelo diretor Ismael Pinheiro, o artista aceitou participar do projeto. Durante cinco dias de filmagem em seu ateliê em São Paulo, o artista, que fazia um grande desenho a pastel, foi entrevistado sobre diversas questões abrangentes envolvendo, como ele já disse, suas motivações; sua percepção de seu próprio trabalho; seu entendimento do que é a arte; sua compreensão de mundo. "Foi fácil", diz Peticov, completando ter sido esse um processo interessante de reflexão. Artista nascido em Assis, em São Paulo, em 1946, Peticov acha que todas as fases de sua carreira, na qual explorou diversos gêneros e técnicas, foram boas - "a melhor é a que vai começar amanhã". Interessado em cultura desde criança, foi com 12 anos que entendeu qual seria sua vocação ao ter contato com o artista Mário Salles Júnior. O documentário dirigido por Ismael Pinheiro realizado no ano passado e produzido pela Code 7 Entertainment, tem 25 minutos. O lançamento será seguido de debate com o artista e o diretor. Obra Viva - Antonio Peticov. MIS. Avenida Europa, 158 tel. 3062-9197. De hoje a dom., 20 h. R$ 4. Até 25/3. Amanhã, abertura com debate. Grátis

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.