No mês do seu aniversário, o rock ganha atrações em SP

Exposição no MIS, com objetos como famosas capas de CDs, abordam o gênero

11 de julho de 2007 | 16h18

A Exposição do Arquivo do Rock Brasileiro recupera, a partir de amanhã, no MIS (Museu da Imagem e do Som), um período pouco conhecido da cultura nacional. O projeto, que tem como curador o jornalista e músico Ayrton Mugnaini Jr., enfatiza o período de formação do rock, de 1955 a 1979. "Venho pesquisando o rock desde quando nasci, há 50 anos", revela Mugnaini. "Muita coisa veio do meu acervo pessoal", diz.Para entreter o público, o jornalista promete utilizar o máximo de meios multimídia. Gravações raras e biografias foram digitalizadas e poderão ser acessadas por meio de computadores.A exposição, que ficará em cartaz no MIS desta quarta-feira, 11, a 5 de agosto, contará com capas de discos, filmes, livros e revistas de época, gravações e discos raros em vinil, objetos e peças de colecionadores, filipetas, press-releases, cartazes, livros e objetos em geral, além de imagens dos fotógrafos Mário Luiz Thompson e Conceição Almeida e do acervo de Antônio Aguillar.Será possível escutar a primeira composição de rock no Brasil. Acreditem, foi Cauby Peixoto, com Rock´n´Roll em Copacabana, quem deu a largada no rock nacional, em 1957. A primeira gravação, no entanto, foi de Nora Ney, com Rock Around the Clock, em 1955."De Jô Soares, com o ´clássico´ Vampiro, de 1964, a Adoniram Barbosa, pretendemos mostrar que o rock entrou por várias vertentes no País", completa Mugnaini. A intenção dos organizadores é encontrar um lugar permanente para todo esse acervo.Filmes e showsAlém da vasta exposição, quem for ao MIS poderá se deparar com um pequeno ciclo de filmes, documentários - como o excelente Botinada do ex-VJ da MTV Gastão Moreira, que levou quatro anos entre pesquisa e produção do material - curtas e shows em seu auditório de "dinossauros do rock", como Made In Brazil e Violeta de Outono.Outro destaque da mostra do MIS é a série A História do Rock Brasileiro, produzida pela TV Cultura em parceria com a Rede SescSenac de Televisão e pelas produtoras MS39 e Komvídeo Comunicação. Feita em homenagem aos 50 anos do rock brasileiro, a série aborda o desenvolvimento deste ritmo americano em nosso país, da Jovem Guarda ao movimento Mangue Beat, em três capítulos de 52 minutos cada.As crianças também vão poder fazer barulho nos espaço da Sessão Pirueta, projeto dedicado à exibição de filmes infanto-juvenis.Serão exibidos os longas-metragens Chantecler, o Rei do Rock, Escola do Rock, com o impagável Jack Black, de Richard Linklater, e a animação da Disney Lilo & Stich, em que a garotinha havaiana Lilo é fanática por Elvis Presley.

Tudo o que sabemos sobre:
rockMIS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.