No Lasar Segall, retrospectiva da obra de Hilde Weber

O Museu Lasar Segall abre no sábado, 14, a mostra Hilde Weber: Lápis de Malícia Lírica, a primeira retrospectiva de Hilde Weber. A denhista foi colaboradora do Estado durante mais de 30 anos, produzindo centenas de charges políticas para o jornal.Um dos destaques da mostra são os azulejos produzidos por Hilde na Osirarte, ateliê de Paulo Rossi Osir, e os desenhos de Ouro Preto feitos quando a artista viajou a convite do então presidente Juscelino Kubitschek para a inauguração do conjunto arquitetônico da Pampulha, em Belo Horizonte. Há ainda os desenhos com guaches e nanquins e as ilustrações feitas para livros infantis brasileiros como Sílvia Pélica na Liberdade, de Alfredo Mesquita, e Pluft - O Fantasminha, de Maria Clara Machado, clássico do teatro infantil do País.Hilde Weber nasceu em 1913 na cidade de Waldau, na Alemanha. Começou a carreira aos 17 anos, desenhando para os jornais Hamburger Anzeiger e Hamburger Fremdenblatt. Em 1933, veio para o Brasil com o objetivo de reencontrar o pai, que se mudou para o País após o fim da 1.ª Guerra Mundial. Na década de 50, naturalizou-se brasileira e mudou-se para o Rio, onde trabalhou como chargista na Tribuna da Imprensa, antes de iniciar a carreira no Estado. Hilde morreu em São Paulo, em 1994.Hilde Weber: Lápis de Malícia Lírica. Museu Lasar Segall. Rua Berta 111, Vila Mariana. Tel. (11) 5574-7322. 14/4 a 24/6. De terça a sábado, das 14 às 19 horas. Domingos e feriados, das 14 às 18 horas. Grátis

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.