No Brasil, Reese Witherspoon luta contra violência doméstica

Com visual impecável, atriz de 'Legalmente Loira' arrisca passos de samba e elogia coragem de Maria da Penha

Nina Ramos, do estadao.com.br,

28 Agosto 2008 | 20h02

O suspense é grande. O mediador da coletiva anuncia a entrada de Reese Witherspoon algumas vezes antes que a loirinha apareça de fato no salão do WTC Hotel, na zona sul da capital paulista. Com um vestido azul-marinho e o cabelo impecável, a atriz americana surge na sala espevitada, assim como Elle Woods, sua personagem em Legalmente Loira.   Foto: Paulo Liebert/AE   O filme apresenta Reese para o sucesso mundial, mas diferentemente da patricinha Elle, que no segundo longa luta contra testes de cosméticos em animais, a atriz vem pela primeira vez ao Brasil para divulgar uma campanha contra a violência doméstica.   A atual namorada do galã Jake Gyllenhaal não fala nenhum 'a' sobre sua vida pessoal. Ela apenas arrisca algumas palavras em português - como "obrigado" e "caipirinha" - e dá uns passinhos de samba, para a alegria dos fotógrafos presentes.    Momento importante do evento que divulga a campanha Fale sem Medo - Não à Violência Doméstica, promovida pela marca de cosméticos Avon, é o encontro entre Reese com Maria da Penha Maia Fernandes, símbolo da luta contra a violência doméstica no Brasil e convidada especial. "É um prazer conhecer essa mulher que encorajou o Brasil", disse a atriz. Após seu pequeno discurso, Reese presenteou Maria da Penha com uma Pulseira da Atitude, primeiro produto da Avon destinado a ações que visam a redução dos índices de violência doméstica. A cerimônia contou com a presença também da ministra Nilcéia Freire, da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres (SPM).   Reese coloca pulseira em Maria da Penha. Foto: Paulo Liebert/AE    "Como uma figura pública, como a mídia tem interesse em mim, acho importante aproveitar o público que tenho para falar sobre questões importantes como essa. É um tema que afeta todo o mundo, sem barreiras", declarou a ganhadora do Oscar de melhor atriz por Johnny e June.   De acordo com Maria da Penha, cuja luta contra a violência sofrida dentro de casa resultou na promulgação da Lei Federal n.º 11540, chamada Maria da Penha, "assuntos como a violência doméstica precisam ser discutidos nas escolas. A educação muda o mundo. Eu acredito que os currículos escolares precisam abordar essas questões". Maria da Penha frisa também o papel da criança em situações de violência doméstica. "A partir do momento que a criança tem o conhecimento da denúncia, ela pode se tornar um agente para uma mulher que não tem coragem de denunciar".   Segundo o presidente da Avon Brasil, Luiz Felipe Miranda, renda obtida com a venda de cerca de 250 mil peças da Pulseira da Atitude, equivalente a R$ 1,5 milhão, será doada ao Unifem (Fundo de Desenvolvimento da ONU para a Mulher). Segundo Ana Falú, diretora do Unifem, o recurso será utilizado no Brasil em ações para divulgar a causa. "É preciso apoiar as mulheres para que elas quebrem com esse ciclo. Vamos ampliar o conhecimento entre juízes, promotores, advogados e agentes da saúde", disse.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.