No Ágora, uma fábula do dramaturgo alemão Tankred Dõrst

O interesse começa pelo espaço cenográfico. Em vez de uma sala tradicional de teatro, a peça A Grande Imprecação diante dos Muros da Cidade será apresentada diante de um muro mesmo, o que separa o teatro Ágora do prédio vizinho, num pequeno pátio interno que ganha agora aproveitamento teatral. Mas a motivação apenas começa por aí e pode ir muito além.A Grande Imprecação é uma fábula de Tankred Dõrst, prestigiado autor alemão contemporâneo, com direção de Celso Frateschi e a atriz Renata Zanetha no papel central. Ela vive uma mulher que vai até o muro da cidadela do Imperador reclamar de volta o seu homem, convocado para proteger, como soldado, os domínios do poder. Não deixa de ser oportuno o tema num momento em que muralhas vêm sendo erguidas em muitas partes do mundo. "Elas são sempre expressão máxima de um poder que se fecha por preconceito, ignorância e arrogância", diz Frateschi.A muralha da peça, claramente, separa dois mundos, o masculino, representado por soldados e imperador, e o feminino, encarnado nessa mulher. "Ela é corajosa, inteligente e não ´precisa´ de um homem para sobreviver - sabe tecer seus cestos, negociar o que colhe ou pesca, sabe lidar muito bem com a sobrevivência -, mas quer o seu homem, para trocar carinho, cuidar dele, parir, e vai lutar por isso até o fim", diz Renata.Seu embate será com dois oficiais - Heitor Goldflus e Hermes Baroli - que prometem devolver seu marido se ela o reconhecer mesmo de capacete e farda. Mas um oportunista (Ângelo Brandini), para se safar do serviço, ocupa o espaço. Certa de que o seu marido está morto, ela aceita a substituição. Mas ambos vão ter de provar que são marido e mulher. Começa aí um jogo teatral instigante e muito revelador a partir do embate entre o que chamamos ´feminino e masculino´. Grande Imprecação diante dos Muros da Cidade. 70 min. 12 anos. Ágora Teatro (40 lug.). R. Rui Barbosa, 672, Bela Vista, tel. 3284-0290, metrô São Joaquim. 5.ª e 6.ª, às 21h30; sáb. e dom., às 19 h. R$ 40. Até 1.º/7

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.