Nívea Maria quer papel de humor na TV

Escolhida pela Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) a Melhor Atriz de 2003 pela atuação em A Casa das Sete Mulheres, Nívea Maria gostaria de colocar Corina, sua personagem em Celebridade, no batente para ela sentir-se útil, mas diz que o destino amoroso da mãe da protagonista, assim como o seu, é uma incógnita. Com 40 anos de profissão e cerca de 45 novelas no currículo, Nívea gostaria de ser mais utilizada na TV, se possível, fazendo humor. Leia abaixo entrevista com a atriz.Você começou na novela como uma mulher fútil, mas sua personagem mudou de rumo. O público não estava gostando? Nívea Maria - Tenho ouvido comentários sobre a mudança da Corina, mas não sei bem. Não sei que idéia o Gilberto Braga tem para a personagem. Tenho feito uma Corina meio em cima do muro para ela poder ir para qualquer lado. Como um personagem vai morrer, ela pode ser uma das suspeitas. Você foi escolhida a melhor atriz de 2003. Foi uma surpresa? Fiquei surpresa pelo gabarito do prêmio, mas o acho justo não por mim e sim pela série, um trabalho diferenciado em 2003. O meu prêmio maior foi conseguir me manter na profissão por tanto tempo e ainda chamar a atenção do público e da crítica. Como a TV tem tratado você? Acho que bem, mas sou só uma profissional numa grande máquina. Por ser veterana, sei que não devo esperar trabalhos seguidos, mas gostaria de ser mais utilizada pela TV e não só em dramaturgia. Gostaria de fazer humor, o que já fiz no teatro. Você já fez humor em novela?Já. Outro dia eu e o Hugo Carvana relembrávamos quando fomos protagonistas de Gente Fina (1980), uma comédia das 6. Em Pedra Sobre Pedra fui uma portuguesa, em Brega e Chique fiz uma personagem engraçada. Qual autor de novela com o qual você mais se identifica? Gosto do Manoel Carlos, com quem trabalhei em Maria Maria, mas o Gilberto Braga escreve diálogos que podem ser interpretados de maneiras diferentes, pois têm milhões de intenções. Que papel você gostaria de ter feito e não te deram? Gostaria de fazer uma Helena do Manoel Carlos, da minha idade. O que você faria com Corina? Ela é uma pessoa sozinha e o destino dela, assim como o meu, é uma incógnita. Gostaria que sua vida afetiva fosse melhor. Como na vida real, as mulheres da idade dela ou vivem sós ou agregadas aos filhos. Acho que ela devia trabalhar para se sentir útil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.