Niemeyer fará memorial de Portinari em Brodósqui

O arquiteto Oscar Niemeyer vaiassinar o projeto de um memorial para Cândido Portinari em Brodósqui (SP). A obra deve estar pronta no próximo ano, quando secomemora o centenário de nascimento do pintor, e será erguida na fazenda Santa Rosa, onde Portinari nasceu.O memorial faz parte de uma série de iniciativas que pretendem fazer de Brodósqui um parque temático das artes a partir dePortinari. Estão nos planos da prefeitura e do Projeto Portinari - criado em 1979 e dirigido pelo filho do pintor, João Cândido Portinari - um centro cultural, uma faculdade de artes e uma réplica de casa de colono com bonecos de cera. Portinari seria um desses bonecos e ficaria à porta para receber os visitantes."Queremos reconstituir o cenário em que Portinari viveu no início de sua arte", diz João Cândido. Segundo ele, seu pai tinha umcarinho especial por Brodósqui e deixou isso registrado em versos como "pedirei as asas emprestadas de um anjo para sobrevoarmeu povoado" ou "adorava aquela cidadezinha, minha Jerusalém".Segundo João Cândido, ninguém melhor que Niemeyer para projetar o memorial. Conforme Cândido, além de serem amigos, havia uma admiração mútua entre dos dois. Niemeyer foi convidado ontem para fazer parte do projeto e "prontamenteaceitou ", afirma João Cândido.As obras em Brodósqui farão parte das comemorações do centenário de Portinari, evento programado para durar todo o ano de 2003 e atingir todo o País por diversas mídias. Réplicas digitais da obra de Portinari, feitas pela IBM, deverão percorrero País. "É como uma carta de Portinari ao povo brasileiro, mas uma carta que ainda não chegou para muitos", diz João Cândido.O diretor do Projeto Portinari lembra que 95% das obras de seu pai não são acessíveis ao público por pertencerem aparticulares. No total, o Projeto Portinari já catalogou 4.800 obras entre telas, desenhos, murais, afrescos, retratos e poesia, umaarte à qual Portinari também se dedicou.No interior paulista estão algumas obras abertas à visitação Pública. São 12 afrescos no Museu Casa dePortinari, em Brodósqui, e afrescos e telas na Igreja Bom Jesus da Cana Verde, em Batatais, municípios vizinhos. "Essas obrasjá atraem turistas, mas queremos oferecer mais", diz João Cândido.O projeto elaborado por Portinari e pela prefeitura deve totalizar R$ 4 milhões em investimentos. "Buscaremos recursos com ainiciativa privada através da Lei Rouanet", diz o prefeito de Brodósqui, Antônio José Fabri (PTB). Ele lembra que a cidade de 20mil habitantes tem orçamento de apenas R$ 11 milhões.O prefeito também quer que sejam transferidos para Brodósqui os restos mortais de Portinari, enterrado no cemitério São JoãoBatista, no Rio. João Cândido, porém, não confirma, mas diz que esta idéia pode ser conversada.

Agencia Estado,

25 de julho de 2002 | 11h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.