Niemeyer elogia Putin em homenagem da embaixada russa

Para o arquiteto brasileiro, o presidente da Rússia "é jovem, corajoso e está se impondo"

Julio Villaverde, da Reuters,

14 de dezembro de 2007 | 16h26

O arquiteto Oscar Niemeyer, prestes a completar 100 anos, recebeu uma condecoração de Moscou nesta sexta-feira, 14, no Rio de Janeiro, quando lançou elogios ao presidente russo, Vladimir Putin, e afirmou que o capitalismo está "desmoralizado". Em seu escritório em Copacabana, Niemeyer também repetiu sua satisfação com o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e falou mais uma vez que "os países da América Latina estão seguindo um caminho mais popular". O arquiteto, que faz aniversário neste sábado, 15, recebeu a Ordem da Amizade do governo russo, uma condecoração assinada em decreto por Putin. Para Niemeyer, o presidente da Rússia "é jovem, corajoso e está se impondo". O arquiteto é amigo do líder cubano, Fidel Castro, e tem um passado de estreita ligação com o regime da extinta União Soviética. A Rússia vem passando por turbulências políticas, após as eleições parlamentares de novembro que, segundo países do Ocidente, foram alvo de manipulação. Na quinta-feira, o ex-campeão mundial de xadrez Garry Kasparov, preso recentemente por organizar um protesto contra o governo, alertou que o país está entrando em uma ditadura. Depois de um brinde com champanhe e de uma conversa com o embaixador russo, Vladimir L. Tyurdenev, o arquiteto afirmou que desejava ver "um mundo melhor, mais fraternal...em que as pessoas não queiram descobrir os defeitos das outras, mas sim que tenham prazer de ajudar o outro." "Estamos otimistas, o mundo está mudando, o império velho de Bush está desmoralizado", disse Niemeyer. "Acho que o mundo está melhorando, o capitalismo está desmoralizado e essa reação é natural." "Estamos contentes com o governo brasileiro. O presidente Lula era operário, essa origem dele leva isso para o povo. É patriota, sabe que é necessário reagir às pretensões americanas, ele afirma isso muito bem", disse Niemeyer. O embaixador da Rússia disse que o prêmio foi concedido ao arquiteto por "seus grandes méritos na consolidação da amizade e cooperação entre os povos de Brasil e Rússia".

Tudo o que sabemos sobre:
Oscar NiemeyerVladimir Putin

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.