Niemeyer e o sopro de sua criação genial

Poderoso Joe

LUIZ CARLOS MERTEN, O Estado de S.Paulo

07 de dezembro de 2012 | 00h24

15H50 NA GLOBO

(Mighty Joe Young). EUA, 1998. Direção de Ron Underwood, com Bill Paxton, Charlize Theron, Rade Serbedzija, Regina King, Peter Firth.

Na trilha de King Kong, seu clássico de 1933 - em parceria com Merian Cooper -, o diretor Ernest Schoedsack contou, em 1949, a história de gorila inteligente e brincalhão, que se torna objeto de interesse de cientistas justamente por seu tamanho (tem 5 metros de altura). Sua amiga e um zoólogo o levam da África para um abrigo na Califórnia, mas os caçadores estão sempre atrás de 'Joe' (é o nome do bicho). O remake do diretor Underwood não carece de graça e Charlize Theron, na fase pré-Oscar, está particularmente bela. Reprise, colorido, 114 min.

O Caçador

22 H NA CULTURA

(The Hunter). Alemanha, Irã, 2010. Direção e interpretação de Rafi Pitts, com Mitra Hajjar, Malek Jahan Khazai, Said Hajmohammadi, Naser Madahi.

O horário da Mostra reapresenta, agora dublado, o longa do ator e diretor Pitts sobre homem que pega em armas para vingar a morte da mulher, que tombou numa manifestação contra o presidente Mahmoud Ahmadinejad. Muitos filmes têm abordado a repressão no Irã, mas este segue um caminho inusitado. Pitts disse ao repórter do Estado que se inspirou no astro de ação de Hollywood Steve McQueen. Reprise, colorido, 88 min.

Oscar Niemeyer, a Vida É Um Sopro

22H30 NA TV BRASIL

Brasil, 2007. Direção de Fabiano

Maciel.

A morte do grande arquiteto não passa despercebida pelos programadores de TV e a prova é o documentário que retraça a importância do artista - pois ele foi um senhor artista - e de sua obra como reflexo das transformações do Brasil em que viveu (e atuou). O próprio Niemeyer fala sobre seu ideal de vida e sociedade e explica como teve a intuição genial de usar linhas curvas na arquitetura, viabilizando esse novo traçado por meio do concreto. Entre os que dão depoimentos sobre ele estão os escritores José Saramago, Eduardo Galeano e Carlos Heitor Cony, o historiador Eric Hobsbawn, o cineasta Nelson Pereira dos Santos e o músico Chico Buarque. Reprise, colorido e preto e branco, 100 min.

Kit, Uma Garota Especial

22h45 H NO SBT

(Kit Kittredge: An American Girl). EUA, 2008. Direção de Patricia Rozema, com Abigail Breslin, Julia Ormond, Chris O'Donnell, Joan Cusack.

Durante a depressão econômica dos anos 1930, garota que sonha ser repórter investiga roubos que ocorrem em sua casa, transformada em pensão. A diretora canadense Rozema desfrutou certo prestígio nos anos 1980, com filmes que estouraram em festivais internacionais, como I've Heard the Mermaid Song e O Segredo do Quarto Branco. Reprise, colorido, 101 min.

Gritos do Além

23 H NA REDE BRASIL

(The Last Sign) Canadá/Reino Unido/França, 2004, Direção de Douglas Law, com Andie MacDowell, Samuel Le Bihan.

Viúva é perseguida pela lembrança do ex-marido alcoólatra. A situação complica-se quando ela se casa de novo. O clima é de terror. Reprise, colorido, 90 min.

Habitantes da Escuridão

2H20 NA REDE BRASIL

(They). EUA, 2002. Direção de Robert Harmon, com Laura Regan, Marc Blucas, Ethan Embry.

Mulher marcada por pesadelos na infância descobre que amigo que se suicidou era perseguido pelos mesmos sonhos ruins. Wes Craven, que criou a série A Hora do Pesadelo, produz o longa realizado por Robert Harmon. Nos anos 1980, ele fez sensação com A Morte Pede Carona (e, inclusive, ganhou o rótulo de Steven Spielberg do sadomasoquismo). Reprise, colorido, 89 min.

TV Paga

Quo Vadis?

14 H NO TCM

(Quo Vadis?). EUA, 1951. Direção de Mervyn LeRoy, com Robert Taylor, Deborah Kerr, Peter Ustinov, Leo Genn, Finlay Currie.

Superprodução da Metro que adapta o romance famoso de Henryk Sienkiewicz sobre tribuno que se envolve com cristã, na Roma de Nero. John Huston era o diretor designado, mas terminou substituído por LeRoy. Grandes cenas, grande trilha (de Miklos Rozsa), grande atuação de Peter Ustinov (como o imperador). Nada disso consegue fazer do programa um grande filme. Se prestar atenção, você poderá identificar, entre as figurantes, a jovem Sophia Scicolone (depois Loren). Reprise, colorido, 171 min.

Casa de Areia

19 H NO CANAL BRASIL

Brasil, 2005. Direção de Andrucha Waddington, com Fernanda Montenegro, Fernanda Torres, Seu Jorge, Luiz Melodia, Ruy Guerra, Enrique Diaz, Stênio Garcia, Jorge Mautner.

O filme que Andrucha Waddington realizou a partir da foto de uma casa em ruínas, invadida pela areia, mostra duas mulheres, mãe e filha - mas de repente são a mesma mulher, em diferentes fases da vida -, confinadas num imenso areal. Andrucha fez um poema audiovisual com uma qualidade mítica como a de filmes tipo Limite, de Mário Peixoto, e Sudoeste, que estreia hoje. O diretor, vale assinalar, arrebenta atualmente nas bilheterias de todo o Brasil com o sucesso de Os Penetras. Reprise, colorido, 115 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.