N.Ex.T reabre com homenagem ao teatro

O Núcleo Experimental de Teatro (N.Ex.T) reabre hoje suas portas, depois de passar por seis meses de reforma. O teatro, localizado na Rua Rego Freitas, em São Paulo, ganhou uma nova fachada, um bar para 90 pessoas, com palco para apresentações alternativas - Next Cabaré -, além de um novo camarim. "O espaço está muito mais amigável", garante o proprietário e administrador do teatro, Antônio Rocco.A programação de reinauguração começa com a estréia do monólogo Só os Doentes do Coração Deveriam Ser Atores, texto e direção de Eduardo Figueiredo, com o ator veterano Chico Tenreiro e participação do jovem pianista Yuri Pingo. O espetáculo, baseado em trecho do livro Além das Ilhas Flutuantes, do encenador e pesquisador italiano Eugenio Barba, presta uma homenagem ao ator de teatro. Em cena, Tenreiro interpreta um velho ator polonês, Jacek, doente do coração e às vésperas de estrear Ricardo III, de William Shakespeare. Proibido por seu médico de atuar, o obstinado artista prefere morrer no palco que viver à margem dele."Ao receber a visita de um amigo, Jacek faz uma apologia da vida e do teatro, a ponto de provar que a morte não o abala", assinala Tenreiro, ator carioca com mais de 30 anos de carreira. Formado em artes cênicas na UniRio, trabalhou em diversas montagens cariocas, de Mauro Rasi a Ibsen, além de atuar em diversas novelas na Rede Globo. "Claro que a peça também diz respeito a mim, que estou chegando ao limiar dos 60 anos. Por isso, há um olhar muito próprio na composição do personagem."O ator Eduardo Figueiredo, que escreveu e dirige o monólogo, conheceu de perto o trabalho de Eugenio Barba, em 1995, em Holstebro, Dinamarca. Escrever um solo baseado em um curto depoimento sobre a arte da interpretação, contido em Além das Ilhas Flutuantes, era um antigo projeto antigo. "O personagem citado no livro, Jacek, surpreende porque é uma pessoa que assume suas escolhas, por isso é feliz", ressalta Figueiredo. O monólogo é entremeado de composições clássicas de Chopin, Brahms e Mozart.A montagem também ganha como aliada um telão com depoimentos de atores sobre grandes mestres da atuação, como Sandra Pêra falando de seu pai Manuel Pêra, Carlos Loffler homenageando seu avô Oscarito e Sérgio Viotti dando seu depoimento sobre o ator Jaime Costa. Só os Doentes... é uma produção da cia. Manhas & Manias e durante a temporada vai realizar sessões extras para a público de terceira idade, aos sábados, às 18h30, com descontos de 50%.

Agencia Estado,

14 de setembro de 2001 | 11h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.