Neto revela intimidade de Gandhi em nova biografia

Uma nova biografia sobre Mahatma Gandhi pretende revelar detalhes íntimos sobre o líder do movimento de libertação da Índia, que costuma ser mostrado como um ícone e não como uma pessoa real, disse seu neto e autor do livro. Mohandas - A True Story About a Man, His People and an Empire (Mohandas - uma história verdadeira sobre um homem, seu povo e um império, em tradução livre para o português) quer desmistificar Gandhi, reverenciado por muitos como o homem que ajudou a acabar com cerca de 300 anos de regime colonial britânico através de meios não-violentos. O livro conta detalhes sobre o relacionamento de Gandhi com parentes, adversários e amigos, incluindo um breve flerte com uma conhecida escritora. "Vejo mais meu livro como algo sobre o homem, e não sobre o símbolo", disse Rajmohan Gandhi em entrevista à Reuters no lançamento do livro, feito no mesmo local onde Mahatma foi assassinado em Nova Délhi, quase 60 anos atrás. "Este livro é diferente de outros livros porque é uma biografia completa e cronológica, totalmente sincera...outras biografias concentraram-se em alguns aspectos de sua vida, invariavelmente eliminando partes." Mohandas tem quase 700 páginas e foi escrito em dois anos e meio. A editora Penguin afirma que o livro vai responder finalmente a questões sobre a vida do jovem tímido da costa oeste da Índia que se tornou parte da consciência do século e levou sua nação à liberdade. A obra fala sobre o cotidiano de Gandhi e seus relacionamentos mais próximos, os enfrentamentos com o Império Britânico e com seu próprio povo e família divididos. "O livro vai libertar Gandhi de sua aura e mito", disse seu neto de 71 anos, ex-membro do Parlamento e agora conferencista na Universidade de Illinois. Amor de Gandhi No livro há quatro páginas contando como Gandhi, já casado e respeitado pela sabedoria e simplicidade, teve um caso de amor com a talentosa escritora Saraladevi, sobrinha do renomado poeta e vencedor do Prêmio Nobel Rabindranath Tagore. O livro detalha como Gandhi "ficou impressionado com sua personalidade e parecia fantasiar que o destino queria os dois juntos para formular uma nova Índia". Ele foi forçado a encerrar o relacionamento pelo bem da própria família. O autor disse que o caso não foi secreto, desmentindo um recente artigo publicado por uma revista local que classificou o romance de clandestino. "Não foi um caso de amor secreto. Foi publicado em diversos livros há muitos anos", disse Gandhi. "Não foi um relacionamento ilícito no sentido de que não houve sexo." Ele disse que escrever sobre o caso não afetará a imagem quase sagrada de Gandhi e que as pessoas próximas a ele - parentes e seguidores - elogiaram. "Escrevi toda a verdade sobre Gandhi, então tive de escrever sobre isso também."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.