Net passa a exibir TV Cultura e Arte

A partir do meio-dia de amanhã, as imagens da TV Cultura e Arte vão alcançar mais domicílios noPaís: 36 operadoras da Net passam a transmitir a programação da emissora do Ministério da Cultura (MinC). Com isso, sobe para 68 o número de operadoras que veiculam os programas. No Estado deSão Paulo, as cidades beneficiadas serão Bauru, Caraguatatuba, Catanduva, Franca, Jundiaí, Piracicaba, São Carlos e Sorocaba - a Capital, assim como outras grandes cidades, ainda depende de negociações. Além dessas, a TV Cultura e Arte vai chegar também a municípios do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Rio de Janeiro e Minas Gerais. "Com isso, amplia a oferta de umaprogramação genuinamente nacional", comenta José Álvaro Moisés, secretário do Audiovisual do MinC e responsável pela programação.O primeiro programa a ser exibido pela emissora será Estúdio Brasil, especializado em música popular brasileira. No mesmo dia o destaque será o documentário Museu do Paço Imperial, dirigido por Angela Serrano e exibido às 22 horas. Mais que um marco histórico, o Paço Imperial é um centro cultural de artecontemporânea e histórica, onde artistas de várias correntes realizam suas exposições, demonstrando a pluralidade e a democracia com o que o espaço é administrado.Ainda nesta semana, na quarta-feira, a emissora exibe um programa dirigido principalmente aos interessados em assuntos políticos. Trata-se de Aidé-Mémoire - Caminhos da DiplomaciaBrasileira, dirigido por Jom Tob Azulay, que mostra a política externa e o papel da diplomacia como fator de desenvolvimento do País.Outro destaque da semana é o ensaio videográfico O Elogio da Xilo, gravado no ateliê da artista Maria Bonomi. Lá, acontecemleituras do poema O Elogio do Xilo, do poeta Haroldo de Campos, com trilha sonora de Cid Campos. O ensaio, que será veiculado às22h55 de quinta-feira, recebeu o prêmio de melhor vídeo do Festival de Santo André, em 1996.Encerrando a programação, a TV Cultura e Arte exibe, no domingo, o longa-metragem Cyrano de Bergerac, clássico de 1950 dirigidopor Michael Gordon e estrelado por José Ferrer, que ganhou Oscar pelo papel. A exibição segue um dos preceitos da emissora que é, além de divulgar material produzido no Brasil, a veiculação degrandes clássicos do cinema mundial.Entre os filmes nacionais, o destaque será a exibição de A Próxima Vítima, produção de 1982 de João Batista de Andrade, com Othon Bastos. Trata-se de mais uma obra do cineasta voltada para problemas sociais e políticos. O filme será exibido no sábado, às 18h35."A idéia de criar a TV foi justamente a partir da constatação de que havia muita coisa boa, produzida com dinheiro público, que estava nas prateleiras do ministério. Achamos que seriaimportante que isso pudesse ser mais conhecido pelo público", afirma Moisés. Eventos como o Free Jazz, que ocorre este mês em São Paulo, serão transmitidos com o sinal da Rede Cultura.A programação é veiculada diariamente em três períodos: de segunda a sexta, das 12 h às 14 h, das 18 h às 20 h, e das 22 h às 24 h; aos sábados e domingos, das 12 h às 15 h, das 17 h às20 h, e das 21 h às 24 h, ocupando, portanto, um espaço de até 48 horas semanais de programação estritamente artístico-cultural. Ela é sintonizada por meio das operadoras TVA, NEO TV, DTH e operadoras independentes. A TV Cultura e Arte foi inaugurada em abril deste ano e vem crescendo a cada dia. No início, tinha apenas duas horas diárias de programação.Além disso, o Ministério da Cultura, por intermédio da Secretaria do Audiovisual, firmou convênio com a TV Escola, que exibe a programação para 62 mil estabelecimentos de ensinopúblico do País, atingindo um público estimado de 6 milhões de pessoas. Seu sinal está disponível, por meio de satélite, para cerca de 8,5 milhões de antenas parabólicas espalhadas peloBrasil, significando que a TV Cultura e Arte está acessível para outros 30 milhões de espectadores. A programação pode ser consultada no site do Ministério: www.minc.gov.br.

Agencia Estado,

07 de outubro de 2001 | 20h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.