Neruda defende-se de acusações em carta inédita

Uma carta inédita do poeta chileno Pablo Neruda que nunca chegou a seu destinatário revela uma controvérsia entre o Prêmio Nobel de Literatura e o poeta argentino e defensor dos direitos humanos Juan Gelman. A carta foi escrita há 30 anos e é uma reposta aos ataques que o argentino havia feito a seu colega em entrevista à revista chilena Ercilla, em setembro de 1970. A controvérsia entre os dois tinha natureza política: Gelman acusava Neruda de ter se aproximado da direita e abandonado as causas revolucionárias na América Latina. "É uma pena que nos últimos anos ele se repita poética e politicamente", dizia o argentino. Na carta, encontrada por funcionários de uma empresa de demolição, o chileno devolve: "Gelman não deveria dizer que eu me repito, mas sim que ele próprio me repete." No mesmo texto, Neruda aproveita para lamentar que a revista abra espaço para entrevistas assim "deselegantes".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.