Nederlands Dans Theater desembarca no País

Ele nasceu em Praga, em 1947, ecomeçou a estudar dança aos 9 anos, na escola de balé do TeatroNacional. Aos 10, decidiu que começaria a coreografar apósassistir à peça Fonte de Bhaktisarai, interpretada por umacompanhia de sua terra natal. Esse menino é Jirí Kylián, hoje umdos mais respeitados coreógrafos do mundo, ao lado de Mats Ek eWilliam Forsythe. A companhia, para a qual cria e que dirigiupor muitos anos, o Nederlands Dans Theater 1, está no Brasilpara uma apresentação amanhã em Porto Alegre, no Teatro doSesi, e a partir de sexta-feira em São Paulo, no Municipal, como seguinte repertório: Bella Figura, Sarabande,Falling Angels, assinadas por Kylián, e SH Boom, de PaulLightfoot.Kylián afirma que não possui um estilo definido, nãogosta de rótulos, embora haja em seus trabalhos um forte vínculoentre o balé clássico e as técnicas modernas - como referência,Martha Graham. Parte de sua influência começou a ser absorvidaaos 15 anos, quando foi aluno de Zora Semberová, uma mestra queo preparou para a escola do Royal Ballet, em Londres. Lá, ojovem bailarino conquistou espaço e fama, chamando a atenção deJohn Cranko, o diretor do Stuttgart Ballet, que o contratou comobailarino profissional.Após a morte de Cranko, em 1973, assumiu o posto decoreógrafo e dois anos adiante tornou-se coreógrafo-residente doNederlands Dans Theatre. Em três, já era o diretor com plenospoderes e espaço para criar, o que lhe proporcionou desenvolveruma narrativa própria, um estilo inconfundível, uma marcaregistrada. Mesmo que afirme o contrário. "Não gosto de ficarpreso a um estilo. Para mim, a dança é uma expressão artísticaque deve sempre caminhar com as outras; deve haver troca deidéias e informações para a elaboração de uma coreografia",comenta Kylián.Sempre reticente ao comentar o seu processo de criação,ele afirma: "O ato de criar uma coreografia é similar a umacriança pequena: ela vai se desenvolver independentemente davontade dos pais ou de qualquer um. Não existe uma receita, cadapeça percorre caminhos e passa por estágios diferentes atéchegar ao resultado final."Temas - É certo que toda coreografia nasce de umdeterminado ponto; no caso do NDT, ela é concebida a partir daobservação da vida. "Para mim, a pesquisa é fundamental e o meufoco é a riqueza que há na vida. Estou aberto às influênciasculturais e às muitas possibilidades e experiências presentes nodia-a-dia das pessoas", diz.A escolha dos temas, de acordo com o diretor, é simples:"Os sentimentos são a chave, todas as coisas que são feitaspelo ser humano estão ligadas ao amor ou a morte. Minhas peçascomunicam emoções, sentimentos e é exatamente isso que querodividir com quem as vê ", conta. "A grande questão é organizaressas informações, transformá-las em movimentos e colocá-las nopalco."Na concepção de Kylián, esse processo deve ser marcadopela musicalidade e principalmente pela simplicidade dosmovimentos. "Um trabalho deve ser marcadamente simples, o queconfigura um desafio. Sempre inicio uma coreografia com muitasidéias, mas com o seu desenvolvimento vou retirando os excessos,até chegar a um gesto básico, sem deixar de lado os efeitos."Bailarinos - Os intérpretes são fundamentais dentrodesse contexto, não somente pela técnica, que deve ser apurada,mas na interferência direta no processo de criação. O NDT 1possui artistas de várias partes do mundo, que levam ao gruporeferências e costumes diversos. "Temos bailarinos de váriospaíses, uma influência rica para a composição de um novotrabalho. Eles emprestam os seus conhecimentos, trejeitos,hábitos e costumes regionais, enfim, o seu estilo próprio dedançar.""Procuro artistas que queiram aprender cada vez mais,que aceitem e tragam idéias novas," observa. "Gosto de pessoasque participam, procuram compreender aquilo que estãodançando." Kylián cuida pessoalmente da escolha do elenco:"Procuro gente que queira se doar. Gosto de ouvir os bailarinosenquanto crio, espero deles criatividade, ousadia."A instalação do NDT 2 facilitou a busca pelos talentos."Essa é uma companhia para adolescentes - de 17 a 22 anos -,uma ponte para a companhia principal. Lá eles tomam conhecimentodo repertório, desenvolvem-se e, mais adiante, podem vir aintegrar o NDT 1." Há, ainda, o NDT 3 que abriga bailarinosmais experientes.Repertório - No Brasil, o público poderá conferir o NDT1 com as peças Falling Angels, Sarabande e BellaFigura, de Kylián, e SH Boom, de Paul Lightfoot.Falling Angels foi criada a partir da música deSteve Reich, é dançada somente por mulheres, com a presença demúsicos tocando tambores no palco. "Neste trabalho destaco aliberdade, tanto nos movimentos quanto na performance. Questionoquais os meios utilizados para encontrá-la", avalia. "Já emSarabande é a vez de o elenco masculino tomar o palco parabrincar com o machismo. É uma peça muito divertida." A trilhasonora traz músicas de Bach.Para fechar o ciclo Kylián, Bella Figura. Umacoreografia que aborda o relacionamento entre homens e mulheres."Ao som de músicas barrocas, um homem e uma mulher mostram asensualidade e erotismo que há nesse envolvimento, mas quero iralém disso, quero que as pessoas pensem em que momento começou aperformance, quando a dança começa", diz.Idealizada por Lightfoot, SH Boom é uma peça cômica.Considerado um dos sucessores de Kylián, ingressou no NDT 2 em1985, lá também deu os seus primeiros passos como coreógrafo.Seconds foi o primeiro trabalho para o NDT 1 e o reconhecimentonão tardou: foi contemplado com os prêmios Lucas Hoving Award eum concedido pela Associação Holandesa de Diretores de Salas deEspetáculos.A atuação de Lightfoot faz parte da política dacompanhia de abrir espaço para jovens talentos. Atualmente, nadireção artística do grupo está Marian Sarstädt. "Hoje atuomais livremente, deixei o posto de diretor. Sou um coreógrafo,assim posso trabalhar com mais liberdade, quero ampliar oprograma, criar coisas novas, sem, no entanto, ficar preso aplanos, vivo intensamente cada momento. Não gosto deprogramações porque estou sempre aprendendo, conhecendo emudando minhas idéias."Nederlands Dans Theater 1. Sexta, às 21 horas; domingo às 18 horas. De R$ 20,00 a R$ 150,00. Teatro Municipal. PraçaRamos de Azevedo, s/n.º, tel. 222-8698. Patrocínio: Nokia,Embratel, Banco Real.

Agencia Estado,

01 de outubro de 2001 | 16h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.