Nazistas

Nos filmes da série Guerra nas Estrelas os oficiais do império intergaláctico usavam uniformes parecidos com os dos oficiais alemães na Segunda Grande Guerra. Era para identificá-los imediatamente como maus. Ou seja, mil anos no futuro a analogia nazista ainda continuaria funcionando. Como funciona hoje, 65 anos depois da derrota do nazismo, quando se quer caracterizar um mal ou insultar alguém. Uma recente e maluca analogia foi feita por opositores do plano de saúde universal do Barack Obama, que chamaram o plano de nazista. O plano que o Baraca finalmente conseguiu aprovar é menos abrangente do que o que existe na maioria dos países industrializados do mundo, mas "nazista" era um epíteto mais ressoante do que "social-democrata" ? que para a direita americana já é um palavrão. Cartazes do Obama com o bigodinho do Hitler faziam parte da campanha contra.

Luis Fernando Verissimo, O Estado de S.Paulo

08 de abril de 2010 | 00h00

É bom que o mundo nunca se esqueça do nazismo e seus símbolos continuem a evocar um passado de horrores por muitos anos, mas a banalização do termo esvazia seu sentido. Quando tanto a direita quanto a esquerda se xingam de "fascista", "fascista" passa a não ter significado histórico algum, ou aplicação fora do calor da briga. E "nazista" como a suprema imprecação de certa maneira libera vocações totalitárias e prepotentes que não se reconhecem no modelo execrado. Não foram poucas, a julgar pelo que se lia nos jornais, as pessoas que concordaram com a frase dita depois da matança de meninos na Candelária, a de que aquilo não tinha sido uma chacina e sim uma faxina. Quando se pode chamar até um plano de saúde de nazista, o verdadeiro pensamento nazista fica sem nome.

O Baraca conseguiu a aprovação do seu meio plano, mas continua sob fogo da direita ? e da esquerda. Está sendo tímido nas mudanças sociais prometidas e não acabou com a intervenção americana no Afeganistão, o que não tinha sido prometido mas era esperado. Mandou mais tropas. E o Afeganistão continua sendo um sumidouro, engolindo o seu terceiro império seguido, depois dos ingleses e dos russos. Enquanto isso a direita religiosa reza pela morte de Obama e "nazista" é apenas um dos rótulos que lhe deram.

Situação. Robin Williams no show do David Letterman: "Dizem que a situação em Washington está tão feia que estão apunhalando as pessoas pela frente."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.