Natureza é o suporte de mostra em SP

É aberta hoje na Casa da Fazenda, espaço cultural no Morumbi, a exposição No jardim do Coração - da Terra ao Céu, com trabalhos das artistas Rita França, Bia Monteiro e Aline Mel. A mostra, que mistura obras de técnicas diferentes e dialoga com artesanato e questões ambientais, fica em cartaz até 7 de julho.A maior parte dos materiais utilizados pelas artistas é natural. Barro, cera de abelhas, pigmentos, parafina e madeira são parte integrante das obras em exposição na Casa da Fazenda. Com materiais assim, Rita França, Bia Monteiro e Aline Mel criam cerâmicas, faianças e batiks iluminados.Um batik é um quadro pintado com cera de abelha e parafina sobre tecido, uma técnica desenvolvida pelos habitantes da Ilha de Java. Rita vai ocupar toda a senzala da Casa da Fazenda (o local era uma fazenda no século 19) com seus batiks. "Como a senzala é escura, a luz dos quadros será a única a iluminar o espaço", diz a artista.A irmã de Rita, Aline Mel, apresenta na exposição jarros, vasos, ânforas, pratos e bacias de louça de barro esmaltado (faianças) ilustrados com desenhos originais. Já Bia Monteiro mostra seus trabalhos integrados à natureza: são cerâmicas que colocadas em árvores geralmente são procuradas por pássaros para fazer ninhos e bebedouros."O espírito da exposição é a natureza", diz Rita França. A escolha do local já dá uma dica sobre o tema da mostra. A Casa da fazenda, hoje um espaço cultural, era uma fazenda produtora de chá inaugurada em 1813 pelo rei d. João VI. A maior parte do seu acervo natural foi preservada e recebeu uma reforma completa da Academia Brasileira de Arte, Cultura e História, cuja sede é no casarão da antiga fazenda. "Nossa mostra fala de carinho, o amor e a feminilidade da natureza", completa.A mostra que será inaugurada hoje já foi exibida em várias cidades brasileiras. Há um ano e meio as artistas levam seus trabalhos País afora. Já estiveram em Florianópolis, Cuiabá, na Chapada dos Guimarães e também em São Paulo, no Espaço Cultural Lá Pérgula.Segundo Rita, a ligação entre arte e natureza começou em 1987, com o movimento Pantanal Alerta Brasil. Criado por ela e seu ex-marido, o movimento promoveu encontros entre artistas e cientistas para debater os problemas ecológicos envolvendo a região do Pantanal mato-grossense. "Reunimos músicos como Tom Jobim, Paulinho da Viola e Egberto Gismonti e cientistas renomados como Paulo Nogueira Neto e Raul Ximenes. Foi o primeiro projeto a conectar cultura e meio ambiente", diz Rita.No Jardim do Coração - da Terra ao Céu - Casa da Fazenda. Avenida Morumbi 5594, tel: 3742-2810. De terça a domingo, de 11h às18h. Entrada franca.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.