Nas asas do besouro

Inspirado no lendário personagem que o fascina desde jovem, Paulo César Pinheiro lança CD renovador de temas de capoeira

Lauro Lisboa Garcia, O Estado de S.Paulo

13 de novembro de 2010 | 00h00

Quem acompanha a carreira do poeta e compositor Paulo César Pinheiro sabe que Besouro Mangangá, lendário capoeirista baiano, o fascina desde jovem. No antológico samba Lapinha (1968), sua primeira de mais de cem parcerias com Baden Powell (1937- 2000), Pinheiro emprestou o refrão de Besouro, também compositor, entre outras façanhas.

Em 2006, depois de citações esporádicas do personagem em várias canções, Pinheiro marcou sua estreia no teatro com o memorável musical Besouro Cordão de Ouro. Os temas da peça agora chegam ao CD, com Capoeira de Besouro, lançado pelo selo Quitanda, que tem direção artística de Maria Bethânia, nascida na mesma cidade de Besouro, Santo Amaro da Purificação.

Se Baden foi responsável por colocar o berimbau no mapa-múndi nos anos 1960 com seus afro-sambas em parceria com Vinicius de Moraes (1913-1980), Pinheiro agora faz algo igualmente significativo, renovando a música de capoeira e dando continuidade à iniciativa do parceiro.

"Ele foi o primeiro a mexer com essa história mais claramente", diz o poeta. "Com essas músicas tentei botar um foco maior nessa manifestação, que é conhecida mundialmente, mas está sempre nos guetos. Estou tentando fazer com que isso ganhe uma luz maior em cima e se espalhe mais no exterior e entre os nossos compositores. Que eles se voltem um pouco mais pra essa raiz forte, que são esses toques, muito bonitos, muito bem feitos."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.