Napoelone investe em pratos rápidos

O Napoleone passou por uma grande reforma e, sem perder a classe e a elegância, está expondo mais o seu lado bar com um cardápio auxiliar no qual estão pratos mais rápidos, alguns ideais para drinques e sanduíches. Para completar, receitas com carnes, aves e frutos do mar mais elaboradas e com a competência de sempre. Depois da reforma, a casa ficou menor, mais aconchegante. Na frente, o gazebo fechado foi substituído por um terraço aberto, com armação de madeira e algumas plantas, um bom lugar para um drinque no fim de tarde e para provar os novos pratos rápidos da casa. O salão, logo em seguida, ficou menor, com umas dez mesas bem espaçadas e um jogo de poltronas com um imponente sofá de couro numa das laterais, junto a uma lareira. O bar, que era ao lado, agora está no fundo do salão e vai ganhar banquetas. Junto a ele, um piano no qual Carlos Nóbrega executa com muita competência os sucessos de sempre. Uma bela seleção de músicas no tom adequado. Cores mais fortes, mais vivas, notadamente o vermelho com nuances de bordô e o verde dominam a decoração, que ainda conta com objetos de alta classe, alguns dos quais vindos do Grande Hotel Tamoyo, de Lindóia, que foi da família do proprietário, Pedro Paulo Fachini. Entre esses, um belíssimo samovar no bar e um espelho sobre a lareira. No andar de cima, um salão mais formal, com mesas bem postas, para ocasiões especiais. O novo cardápio Napoleone Expresso propõe um almoço executivo a R$ 27 e ainda 4 entradas (com preços entre R$ 13, o carpaccio clássico e R$ 21, o millefeuille de vieiras); 12 pratos rápidos (entre R$ 10, a omelete de queijo e R$ 18, o medalhão expresso); 11 sanduíches (entre R$ 6, o de mortadela com pão italiano e R$ 15, o de salmão defumado com pão integral), além de 3 sobremesas. O cardápio mais formal encolheu, ficou restrito aos pratos selecionados pela clientela. Ele propõe 3 carnes e aves (entre R$ 37,50, o medalhão de filé mignon e R$ 42,50, o carré de cordeiro Napoleone); 6 massas e risotos (entre R$ 13,50, o ravióli de frango com champignons e R$ 43, o risoto de ostras); 3 peixes e crustáceos (entre R$ 32, o peixe do dia e R$ 51, a brochette de camarões), além das sobremesas. O couvert custa R$ 7. O serviço continua formal, agradável, mas a carta de vinhos encolheu demais. Poucas opções de brancos. Taças apropriadas para os diferentes vinhos. A cozinha, comandada pelo chefe Bastos, que abriu a casa, mantém a classe, seja nos pratos mais rápidos, seja nos tradicionais. A quiche loraine é bem gostosa, com massa adequada, embora com o bacon dominando demais a composição do recheio (R$ 11). Muito salgada a omelete de fines herbes (R$ 11). Uma pena, pois a composição com as ervas aromáticas era das mais gostosas. Muito bom o "carpaccio de champignons com salada" (R$ 14). Champignons de Paris crus, cortados em lâminas bem finas com uma salada verde caprichada. Bom o ravióli de frango ao molho de champignons. Massa al dente e molho delicado. Agradaram os três pratos principais, resquícios das primeiras fases: perdiz ao vinho do Porto com cebola recheada e maçãs caramelizadas (R$ 36,50); carré de cordeiro Napoleone (R$ 42,50) e haddock pochê (R$ 44). Perdiz bem assada, saborosa, mas que podia ser mais úmida, combinando muito bem com a cebola recheada e a maçã caramelada. Costelinhas de cordeiro tenras, deliciosas, servidas com champignons e um nhoque sem muito charme, massudo. Haddock excelente, com gosto do peixe. Café expresso realmente muito bom. Napoleone - Rua Lourenço de Almeida, 743. Tel: 3845-4442. De 2ª a 5ª, das 12h à 0h. Na 6ª e no Sábado, de 12h a 1h. Domingos, só almoço, até 17h30. Happy hour a partir de 17h.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.