'Não vejo como fazer Porta dos Fundos na TV'

Em painel no Congresso TV 2.0, em São Paulo, anteontem, Ian STF, da Porta dos Fundos, divertiu a plateia ao falar sobre o boom do maior fenômeno do humor na web, no País. O que a trupe ganha com o YouTube, disse, já quase paga os custos de produção, mas não é a maior renda do grupo e convém rediscutir o modelo de negócio com o Google. "É como Globo e RedeTV!. O anunciante não paga a mesma coisa pra ouvir lá a mulher do cara falando besteira e a novela bem produzida." Quanto aos convites para levar o programa à TV, reafirmou que não tem como manter a liberdade da web. "A gente mostra os esquetes e fala: 'E isto, entraria aqui?' Aí o cara da TV diz: 'Ah, não, isso não dá'. Então não dá."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.