'Não sei tocar Colibri'

Nelson Moralle diz que fez músicas junto com Pedro Boi, mas que não sabe tocá-las porque sua 'concepção é ruim'

O Estado de S.Paulo

09 Fevereiro 2013 | 02h08

Nelson Moralle rebate as acusações de roubo de gravações e diz que fez as músicas que estão em seu disco junto com Pedro Boi em uma "criação coletiva."

O disco que você lançou tem as mesmas gravações feitas por um compositor mineiro chamado Pedro Boi. Como isso aconteceu?

Os trabalhos foram conduzidos de forma coletiva. Houve um registro e foi omitido a minha concepção das músicas na época. Como tinha um termo com ele sendo o representante desse coletivo na época, então foi citado que esse trabalho havia sido feito por ele.

Pedro diz que você pegou as músicas dele.

Posso afirmar que há controvérsias sobre isso. E eu já busquei a resposta no meio jurídico.

Você se apresentou como autor da música Caminhos do Sol em uma emissora de TV. Mas essa música é de Hernan Torres e Salgado Maranhão...

Eu ouvi muito dizerem para mim: 'poxa, parece que foi você quem fez essa canção'. Naquele programa específico, um produtor disse pra mim: 'olha, cita que essa música é sua.'

Que produtor?

Não sei.

Mas você concorda que é não legal dizer que é sua uma música que não é sua?

Foi uma má ideia sim.

No Canal Rural você diz ter feito uma parceria com Almir Sater. O nome dele aparece como 'arranjador e produtor' do seu disco.

Se é verídico ou não, não sei. Não vou citar a questão. Não posso, por orientação jurídica.

Na contracapa de seu disco há os logos da Caixa Econômica Federal e da Petrobrás como patrocinadores.

Não são patrocínios meus. Eu, particularmente, Nelson Moralle, não fiz contato com Caixa nem com Petrobrás.

Você tem composições suas gravadas por outros artistas?

Algumas canções eu canto e reivindico a autoria. Porém, por condições econômicas desfavoráveis no passado, algumas canções minhas foram cedidas por autorização minhas a outros compositores.

Por exemplo?

Aí, o que acontece, cê tá entendendo? Só para exemplificar. Você tem um filho e cede esse seu filho para adoção. Aí vamos pensar que lá no meio do caminho você se arrependa. Não é crime você vir a público e dizer que aquele filho é seu, porém, alguém fala 'mas você deu esse filho para uma pessoa criar'. E aí você reivindica.

Colibri Apaixonado é sua?

A canção é minha, mas o Pedro reivindica como sendo dele.

Então você teria composto essa música há um bom tempo...

Vinte e sete anos.

Você deve saber tocá-la...

Eu toco Colibri Apaixonado

muito mal, cara...

Você pode tocar agora?

Cara, confesso: nunca disse que eu era músico. Uso o violão porque não tenho uma presença de palco, ele me conforta quando estou na frente do microfone, porém minha concepção é ruim.

Você não pode tocar uma música que diz ser sua e com a qual se apresenta há 27 anos?

Não, porque minha concepção é ruim, cê tá me entendendo? / J.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.