Lucas Jackson/Reuters
Lucas Jackson/Reuters

Não à plástica

Nos estúdios dos EUA, surge a ''patrulha'' de profissionais que investiga a fundo se os artistas foram ''recauchutados''

Laura M. Holson, The New York Times, O Estado de S.Paulo

05 de dezembro de 2010 | 00h00

Diversos cineastas e diretores de elenco começam a reavaliar a posição de Hollywood em relação aos implantes de seios, botox, lábios com colágeno injetado e todos os tipos imagináveis de cirurgia plástica.

Executivos de TV da Fox Broadcasting já contratam atores de aspecto mais natural da Austrália e da Grã-Bretanha, para evitar as multidões de artistas americanos, de aparêcia juvenil e estranha, que chegam para fazer testes em Los Angeles - e todos com a mesma cara. "Acho que hoje todas as atrizes parecem drag queens ou strippers", exagera Marcia Shulman, supervisora de casting para shows roteirizados da Fox.

Diretores de elenco, como Mindy Marin, que trabalhou no filme Amor Sem Escalas, de Jason Reitman, agora pedem aos agentes de novos talentos que desencorajem seus clientes a se submeterem a plásticas, particularmente as celebridades de mais idade que, ele afirma, começam a perder oportunidades de trabalho porque sua pele é marcada demais ou inchada pelo uso de produtos cosméticos: "O que quero ver é a coisa real."

Os próprios extras (figurantes) precisam passar por uma avaliação. Sande Alessi, que ajudou a montar o cast da série Piratas do Caribe, costuma tirar fotos das atrizes em trajes de banho para que depois as incluam em seus books. Cortesia profissional? Não exatamente. Os realizadores preferem atrizes com seios naturais para filmes de época e históricos. A ponto de a companhia Walt Disney anunciar recentemente que procurava extras para o novo filme dos Piratas, especificando que só deveriam se candidatar mulheres com seios naturais. Com as fotos das candidatas, disse Alessi, "não precisamos perguntar, podemos ver".

Cosmética. Agora, a nova corrente é "menos é mais", inspirada em tendências sociais e tecnológicas conflitantes, afirmam diretores de cinema e profissionais de TV. A "recauchutagem" cosmética continua na ordem do dia: em 2009, foram realizados nos Estados Unidos 10 milhões de procedimentos cirúrgicos e não cirúrgicos, segundo a Sociedade Americana de Cirurgia Plástica Estética. Ao mesmo tempo, a difusão da televisão de alta definição - e o olho treinado do público curioso - tornou mais fácil perceber os enxertos capilares ou as pálpebras costuradas. Nem os homens, evidentemente, estão imunes à promessa de juventude proporcionada por um escalpelo cirúrgico. Mas são as mulheres, o que não deve surpreender, o alvo das verificações mais minuciosas.

Hoje, o botox é um inimigo na Hollywood embevecida pelo cinema em 3D, nesta era pós-Avatar, em que a capacidade de deformar uma boca a ponto de se transformar numa carranca fechada é tão vital quanto conseguir lembrar dos próprios traços. O mais impressionante é como os jovens se viciaram em cirurgia plástica. Em janeiro, a atriz Heidi Montag, foi capa da revista People exibindo os dez procedimentos plásticos a que se submeteu em um único dia. Ela tem 23 anos.

Ridículas

"A era do 'Fiquei maravilhosa porque fiz isto' já passou", disse Shawn Levy, diretora e produtora de Uma Noite Fora de Série e Uma Noite no Museu. "É uma coisa ridícula. Dez anos atrás, as atrizes estavam convencidas de que precisavam fazer plástica para conseguir um papel. Agora, na minha opinião, isso as prejudica."

Na internet, o site de celebridades AwfulPlasticSurgery.com mantém o registro dos que recorreram à plástica, para confirmar as suspeitas quanto a quem fez o quê. Quando Alessi estava escolhendo o elenco de O Curioso Caso de Benjamin Button, em 2007, recebeu centenas de "santinhos". No entanto, algumas das atrizes que chegaram para os testes não se pareciam minimamente com as caras das fotos. "Elas tinham esses lábios grossos e testas congeladas", diz ela.

Um ator pode até perder o papel se um diretor desconfia de uma cirurgia, realizada ou programada. John Papsidera, um diretor de elenco dos filmes da série do Batman, disse que ele e um diretor (cujo nome não quis revelar) debateram recentemente se deveriam contratar ou não uma atriz com pouco mais de 20 anos para o papel de uma adolescente que se apaixona. Era uma jovem talentosa e naturalmente bonita. Mas o que desestimulou os diretores foi a suspeita de que, embora tão nova, ela já tivesse feito implante nos seios.

"Olhamos filmes em que ela fazia topless e pensamos, "Talvez" ", disse Papsidera. Não era um filme de época, portanto a autenticidade não era imprescindível. A possibilidade de um implante se tornou "um ponto de referência", afirmou. "A pergunta era: "Quem é esta pessoa que quer ser atriz?" Ela, enfim, não conseguiu o papel.

A perfeição da juventude é valorizada em Hollywood, apesar da aparente "canonização" das atrizes mais velhas como Meryl Streep, Helen Mirren e Betty White. Mas uma atriz talentosa com mais de 35 anos que fez uma cirurgia particularmente bem sucedida ainda pode encontrar trabalho. Nesta idade, o que se critica não é a cirurgia plástica ou o botox - todos fazem, não é? - mas uma plástica mal executada. "Nos bastidores, a gente fala muito", disse Levy, o diretor: "Por que ela fez isso consigo mesma? Ela era linda, fabulosa. Agora não vamos chamá-la."

Julgamentos

Executivos e produtores que criticam os outros por abusarem das plásticas muitas vezes também sentem a mesma pressão para parecerem jovens e atraentes. Portanto, o julgamento que fazem a respeito dos outros não só é subjetivo, como profundamente pessoal. (Vários executivos dos estúdios não responderam aos nossos telefonemas ou não quiseram manifestar sua opinião sobre procedimentos cosméticos.) Carrie Audino, uma diretora de casting de Mad Men, disse: "Há ocasiões em que a gente está numa reunião para escolher um elenco e ouve comentários em que é possível perceber uma postura tendenciosa provocada por certa insegurança pessoal. Como essas pessoas têm problemas consigo mesmas, também têm problemas com os outros".

No entanto, algo sugere que a nova atitude está começando a pegar. Sharon Osbourne, disse em talk show da TV americana que pretendia retirar os implantes de silicone nos seios para dá-los ao marido como pesos de papel. Lisa Kudrow, numa recente entrevista à revista New York, parecia feliz de confessar que o rosto que os espectadores viram num episódio de Cougar Town era o dela, com todas as rugas da idade. "Veja, o tempo corre", ela disse. "Você quer ter uma aparência ótima, mas há uma distinção entre você se parecer com você mesma e parecer um personagem de um filme de Batman". / TRADUÇÃO DE ANNA CAPOVILLA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.