Nam June Paik ganha exposição no Itaú Cultural

A mostra de Nam June Paik (1932-2006), aberta a partir desta quinta-feira no Itaú Cultural, traz 40 vídeos desse que é um dos mais importantes artistas do século 20, incluindo desde o pioneiro trabalho "Hand and Face", de 1961, até uma obra do ano 2000, "Analogue Assemblage". A importância dessa retrospectiva é imensa, porque permite uma revisão completa do que foi a vanguarda artística nos últimos 40 anos, seus pressupostos, transgressões, utopias e contradições.Há o retrato em espelho duplo de dois grandes artistas americanos, o poeta beatnik Allen Ginsberg e o escultor Allan Kaprow, em "Allan ´n´ Allen´s Complaint" , que Paik dirigiu com Shigeko Kubota em 1982. O filme traz imagens raras de Kaprow no meio-oeste americano, fazendo sua escultura de gelo no deserto, e depois de Ginsberg lendo poemas em Nova York, os pais dos dois artistas, o companheiro de Ginsberg, Peter Orlovsky, tocando banjo.A violoncelista Charlotte Moorman, uma vez, foi descrita pelo compositor Edgar Varese como "a Joana d´Arc da nova música´. Agitadora cultural nas décadas de 60 e 70, ela criou em 1963 o Annual Avant Garde Festival em Nova York, o qual dirigiu durante duas décadas. Também performer, trabalhou ativamente com Nam June Paik, que lhe dedicou (em parceria com Howard Weinberg) o vídeo "Topless Cellist", em 1995."Topless Cellist" traz depoimentos de Yoko Ono, a dupla Christo e Jeanne Claude, Otto Piene e Barbara Moore, todos falando sobre o papel de diva da cultura que Charlotte representava."A Tribute to John Cage", de 1973, é mais uma homenagem de Paik, dessa vez ao compositor John Cage, o compositor que perseguiu o silêncio. Cage foi uma das primeiras grandes influências de Paik (assim como Stockhausen), e mesmo a obra na qual ele defendeu o completo silêncio como uma obra, 4´33´´, apresentada na Harvard Square, está contida nesse vídeo de 29 minutos."A Tale of Two Cities", de Paik e Paul Garrin, é de 1992. Trata-se de uma espécie de festival de artistas radicais: Laurie Anderson, Joseph Beuys, Yves Montand, Charlotte Moorman, Sapho. Definido por Paik como "uma investigação transcultural", o vídeo questiona coisas como ideologia cultural, ética e identidade nacional na arte.

Agencia Estado,

17 de agosto de 2006 | 11h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.